Todos os aeroportos brasileiros deverão ser concedidos a iniciativa privada em quatro anos
Foto: Reprodução / EBC

Todos os aeroportos do país devem passar para o controle da iniciativa privada nos próximos quatro anos. As três próximas rodadas de concessão já estão previstas e conforme confirmado pelo diretor do Departamento de Políticas Regulatórias da Secretaria Nacional de Aviação Civil (SAC), Ronei Saggioro Glanmann, todo o processo deve estar consolidado em quatro anos.

 

Glanmann se reuniu com o diretor-geral do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea), tenente-brigadeiro do ar Jeferson Domingues de Freitas, e o diretor da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) Ricardo Sérgio Maia Bezerra, nesta quarta-feira (30), no Rio de Janeiro.

 

“São cerca de 20 aeroportos, divididos em três blocos, liderados por Goiânia, Manaus e Curitiba. Nosso processo de concessão é bastante maduro, a gente gasta cerca de um ano e meio entre o início dos estudos e o leilão. Então no segundo semestre de 2020 fazemos o leilão da sexta rodada e abrimos os estudos para a sétima e derradeira rodada que são mais três blocos, com mais cerca de 20 aeroportos. Um encabeçado por Belém, outro pelo Santos Dumont [no Rio de Janeiro] e o outro liderado por Congonhas [em São Paulo]. Com isso, chegamos ao final do governo Bolsonaro com toda a rede Infraero concedida e sendo operada por empresas privadas”, explicou Glanmann.

Histórico de Conteúdo