Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Quarta, 28 de Novembro de 2018 - 00:00

Criação da Faculdade Doutor Jesus está sendo viabilizada pela SEC, garante Isidório

por Lucas Arraz / Jade Coelho

Criação da Faculdade Doutor Jesus está sendo viabilizada pela SEC, garante Isidório
Foto: Bahia Notícias

O deputado estadual Pastor Sargento Isidório (Avante) está em contato com a Secretaria de Educação do Estado a fim de viabilizar o projeto da Faculdade Doutor Jesus, de mesmo nome do projeto social idealizado e mantido por ele que acolhe dependentes químicos. De acordo com o pastor, o secretário estadual de Educação licenciado, Walter Pinheiro, tem conhecimento e já manifestou aprovação.  

 

“Walter Pinheiro gostou da ideia. Já tem uns dois anos e meio que a gente tá falando sobre isso e agora [ele] vai apoiar pela Secretaria de Educação”, afirmou o parlamentar.

 

Quanto ao andamento do projeto, o Sargento afirmou que está em fase de análise para que seja elaborado o projeto estrutural por engenheiros e arquitetos da SEC. "O próximo passo é o projeto ficar pronto, porque está sendo analisado pela Secretaria de Educação pra não ter dificuldade 'Ah faltou isso, faltou aquilo'. Então eu estou me subordinando ao projeto já com o dedo da engenharia e da arquitetura da própria SEC, que é quem entende de educação. Eu só vou ser o mestre de obra”, explicou.

 

Isidório disse que a instituição de ensino vai beneficiar os usuários de drogas, por ser uma entidade “sem discriminação”. De acordo com o deputado, este público específico é alvo de muito preconceito e acaba não tendo oportunidades iguais a de outras pessoas em outras faculdades.

 

Ainda em relação aos benefícios do projeto, o parlamentar acredita que a população da região metropolitana de Salvador será a maior favorecida. Ele afirmou ainda que o foco é que os alunos sejam evangélicos, mas que não haverá distinção. “É uma espécie de faculdade evangélica porque eu sou pastor evangélico, então vou me esforçar pra botar o máximo de evangélicos, e quem não for evangélico vai pra lá também, estuda, aprende e vira doutor”, garantiu.

Histórico de Conteúdo