MP investiga startup criadora do jogo que 'Bolsomito' mata gays, mulheres e negros
Foto: Reprodução / Jota

O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), abriu um inquérito civil público para investigar o jogo em que o protagonista, chamado de Bolsomito 2k18, inspirado no candidato a presidente Jair Bolsonaro (PSL), pontua ao agredir negros, gays, mulheres e militantes de esquerda.  A investigação é da Comissão de Proteção dos Dados Pessoais e do Núcleo de Enfrentamento à Discriminação.

 

No jogo, os alvos, depois de atingidos, viram fezes."Derrote os demônios comunistas neste jogo politicamente incorreto e seja o herói que livrará um país da miséria", diz a descrição do jogo. “Esteja preparado para enfrentar os mais diferentes tipos de inimigos que pretendem instaurar uma ditadura ideológica criminosa no país”, prossegue o texto.

 

Segundo informações do portal Jota, Ministério Público entendeu que o jogo possui intenção de prejudicar o candidato à Presidência da República e com isso embaraçar as eleições 2018, além de causar danos morais coletivos aos movimentos sociais, gays e feministas.

 

A Valve Corporation, responsável pela plataforma Steam, onde o jogo é vendido, será notificada para que cesse a disponibilização do game “Bolsomito 2k18”. A empresa deve ainda informar os dados cadastrais dos responsáveis pelo jogo. O Centro de Produção, Análise, Difusão e Segurança da Informação do MPDFT também vai trabalhar para identificar e qualificar os responsáveis pela startup que desenvolveu jogo. 

Histórico de Conteúdo