Ao agradecer votos, Bolsonaro sugere fraude em votação e diz que vai exigir solução do TSE
Foto: Reprodução / Facebook

O candidato a presidente da República Jair Bolsonaro (PSL) agradeceu aos eleitores que garantiram sua vaga no segundo turno das eleições, que acontecerá no próximo dia 28 de outubro. Durante uma transmissão ao vivo no Facebook, Bolsonaro sugeriu que houve fraude na eleição ao criticar os problemas enfrentados em votações por todo país neste domingo (7).

 

“Vamos, junto ao TSE, exigir soluções para tudo que aconteceu agora, e não foi pouca coisa, foi muita coisa. Tenho certeza, se esse problema não tivesse ocorrido, e tivéssemos confiança no voto eletrônico, já teríamos o nome do futuro presidente da República decidido no dia de hoje”, apontou.

 

Ele comentou ainda sobre as dificuldades que enfrentou na campanha. “Andamos em praticamente todos os estados, se não me engano só no Amapá. Nós não tínhamos personalidades, grandes aparatos ao nosso lado, mas tínhamos sim bons políticos e o apoio da população, porque afinal a verdade estava acima de tudo. Para quem não tem tempo de televisão, com um partido ainda muito pequeno, sem fundo partidário, e hospitalizado por 30 dias, não deixa de ser grande vitória”, avaliou.

 

Bolsonaro também comentou sobre a região Nordeste ser a única em que não apareceu à frente do seu concorrente no segundo turno, Fernando Haddad (PT). Segundo ele, “a votação no Nordeste foi muito boa e tenho certeza que melhorará no segundo turno”, porque o povo “humilde, conservador e trabalhador” da região sofre com o “terrorismo” praticado pelo Partido dos Trabalhadores. “Restam dois caminhos: o da prosperidade, o da verdade, o da família... e do outro, o caminho da Venezuela. Não queremos isso para o Brasil”. 

 

Em seu discurso, o candidato do PSL teceu duras críticas ao PT, e afirmou que o país “viu os valores familiares desgastados” e “afundou na mais grave crise ética, moral e econômica” já vista. Sem citar o nome do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o capitão alertou aos seus eleitores sobre Haddad: “nós sabemos quem o cerca, quem o aconselha, e não queremos esse tipo de gente pra ocupar o Palácio do Planalto”.


O candidato ainda prometeu aproximar o Brasil das “grandes nações”, investir nas riquezas do país como a natureza e o turismo, e “jogar pesado” na segurança pública. Garantiu ainda que vai “colocar um fim em todo ativismo” no país e acabar com a “indústria de multas do Ibama”, além de “reduzir a corrupção o máximo possível”. 

 

“Não podemos esmorecer, o que está em jogo é a nossa liberdade, é a manutenção da operação Lava Jato, é ter certeza que o trabalho da Polícia Federal, do juiz Sérgio Moro, não vai ser jogado na lata do lixo”.

 

Por fim, convidou seus eleitores a continuarem mobilizados até o segundo turno. “Nós somos um só povo, temos uma só bandeira, um só coração. A nossa união fará com que tenhamos um governo decente”. 

Histórico de Conteúdo