Polícia intercepta caminhão 52 kg de maconha com marca da prefeitura de Salvador
Foto: Divulgação

A Coordenação de Operações Especiais (COE) da Polícia Civil interceptou, na noite desta quinta-feira (20), o líder do tráfico de drogas, no bairro de Fazenda Grande do Retiro, com 52 kg de maconha, no ferry boat. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública, o criminoso levaria droga de Salvador para Ilha de Vera Cruz e usava caminhão que presta serviço para Prefeitura de Salvador.

Os policiais civis chegaram até Humberto Santos Gomes, de 32 anos, o 'Papel', durante levantamentos para mais uma etapa da operação Conhecer, Operar e Aproximar (COA). O criminoso, preso em 2011 por assassinato, possuía dois mandados de prisão em aberto por homicídio e tráfico de drogas.

Os investigadores da COE descobriram que “Papel” e comparsas distribuíam drogas na Ilha. A quadrilha usava um caminhão que presta serviço para a Secretaria Municipal de Manutenção de Salvador, pois não chamava atenção em blitze.

A dupla foi apresentada, no Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco), e autuada por tráfico de drogas e associação criminosa.

"Excelente flagrante. De uma só vez retiramos das ruas um criminoso responsável por homicídios e distribuição de drogas, para Região Metropolitana de Salvador. Parabéns a todos os policiais civis envolvidos", comentou o secretário da Segurança Pública, Maurício Teles Barbosa.

OUTRO LADO
A Prefeitura de Salvador informou que o caminhão não pertence ao município. Em razão de, nas portas do veículo, haver a marca da Secretaria Municipal de Manutenção (Seman) afixada por imãs, as empresas prestadoras de serviços de transporte foram questionadas.

 

“Nessa apuração feita pela Seman, verificou-se que se trata de um veículo particular subcontratado de forma irregular pela empresa contratada para realizar o transporte de materiais de construção destinados  a uso em obras de escadarias na Capelinha de São Caetano. Diante do procedimento fora dos padrões contratuais, a Prefeitura de Salvador, por meio da Seman, vai tomar as medidas cabíveis contra a empresa, que jamais deveria possibilitar o uso da marca institucional em veículos sem o devido contrato com o município”, diz a nota de resposta.

Histórico de Conteúdo