Com registro de notas baixas, secretário de Educação da Bahia critica avaliação do Ideb
Foto: Max Haack / Ag. Haack / Bahia Notícias

Para o secretário de Educação da Bahia, Walter Pinheiro, o método utilizado para avaliar o Índice de Desempenho da Educação Básica (Ideb) nos últimos dois anos é uma "anomalia". O titular da pasta destaca que a mudança foi feita de última hora, sem que os governos estaduais sequer tomassem conhecimento.

 

"Deveríamos ter sido avisados com antecedência porque isso não ocorreu. (...) A alteração feita na regra introduz uma distorção do quadro que nós já tínhamos, portanto isso é uma anomalia e não condiz com a verdade", contesta Pinheiro.

 

De acordo com os dados divulgados pelo Ideb nessa segunda-feira (3), a Bahia possui a pior média do Ensino Médio em todos os Estados brasileiros. Com notas decrescentes, o índice da rede pública nesse grau de ensino foi de 2.7 pontos em 2017 - a meta projetada para o Estado era 4.1. (saiba mais aqui).

 

"No Brasil inteiro, nenhum Estado conseguiu atingir a meta da questão do Ideb no Ensino Médio. Então, foi erro de todo mundo ou a metodologia desconsiderou diversos fatores?", questiona o secretário. O governador Rui Costa também se pronunciou sobre o assunto. No domingo (2), o petista e outros cinco governadores do Nordeste divulgaram uma carta questionando as mudanças feitas nos cálculos do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb), que é utilizado para definir as médias do Ideb.

Histórico de Conteúdo