Coronel não vai impor vaga para o Senado: ‘No nosso lado, não existe candidatura forçada’
Angelo Coronel, presidente da AL-BA | Foto: Paulo Victor Nadal/ Bahia Notícias

O presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), Angelo Coronel (PSD), negou nesta segunda-feira (23) que esteja travando disputa com a senadora Lídice da Mata (PSB) por uma vaga para o Senado na chapa majoritária do governador Rui Costa (PT) à reeleição. Em entrevista ao Bahia Notícias, ele disse que, caso fique de fora da chapa, não terá problemas em apoiar Lídice e que, no PSD, “não existe candidatura forçada e a qualquer preço”. O social-democrata também defendeu a unidade do grupo. “Caso a senadora venha a ser candidata, não terei o menor problema de cravar seu nome nas urnas e ela ser eleita. Mas, se meu nome for homologado, espero ter o mesmo jeito da senadora. E tenho certeza que, da parte dela, não terá problema. O importante é que saia uma chapa que realmente dê mais densidade à chapa. E não se trata de disputa, de corrida para se galgar uma vaga. Na política, as pessoas têm que entender o momento de avançar e recuar. No meu caso, se eu sentir que o meu partido não tenha peso político de disputar a vaga para o Senado, o partido poderá até recuar”, declarou o social-democrata. Ainda segundo Coronel, mesmo com os dois no páreo e com o nome dele apontado como favorito para a vaga, o PSD não vai desmerecer a senadora. “Da nossa parte, o nosso partido tem uma promessa de não desmerecer adversários. E muito menos desmerecer a senadora. Do nosso partido, ela jamais ouvirá nenhuma vírgula de nenhum membro do partido”, afirmou. O presidente da AL-BA também destacou que não tem pressa na definição da chapa por parte do governador e, com isso, seguirá com sua pré-campanha para o Senado. “Eu irei dar sequência à minha pré-candidatura. Como também não vejo nada demais da senadora dar seguimento também. Esperamos lá na frente que haja unidade. Caso não haja unidade, ficará uma interrogação no ar”, ponderou.  

Histórico de Conteúdo