Rui desqualifica ação do MP sobre arena: 'Copia e cola, faz estardalhaço, fica por isso mesmo'
Foto: Manu Dias / GOVBA

O governador Rui Costa não pareceu levar muito a sério a ação civil pública movida pelo Ministério Público sobre a demolição, reconstrução e administração da Arena Fonte Nova. O parecer do MP aponta superfaturamento de R$ 429 milhões (veja aqui). Durante evento na manhã desta quarta-feira (4), Rui disse que a ação não tem nenhuma consistência técnica ou jurídica. "Copia e cola da operação que foi feita. (...) Não passa pelo beabá e qualquer raciocínio lógico. (...) Copia e cola, chama imprensa, faz estardalhaço e fica por isso mesmo", disse o governador, segundo o qual algumas pessoas deveriam assumir explicitamente que são contra projetos feitos na modalidade de parceria público-privadas. Segundo Rui, a Arena Fonte Nova e um dos estádios mais baratos entre todos os que foram feitos no Brasil. O governador ainda criticou promotores públicos que recebem auxílio-moradia mesmo tendo apartamento próprio e citou nominalmente a promotora Rita Tourinho. "Não sei quanto o responsável pela Fonte Nova ganha, se muito ou pouco. O que eu sei, que ouço pela imprensa, é que promotores públicos como Rita recebem auxílio-moradia. Quantas pessoas no Brasil ganham R$ 4,5 mil para auxílio-moradia? Quem paga esse auxílio do promotor é o povo que tá na favela, povo que tá morrendo de fome, que não tem onde trabalhar. Se é pra politizar, vamos politizar", alfinetou. O governador lembrou que é preciso que as pessoas tenham "serenidade emocional" para apurar os fatos e comprová-los, antes de fazer denúncia. "As pessoas estão preocupadas em aparecer mais que os políticos", acrescentou.



Histórico de Conteúdo