Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Barroso citou indícios de corrupção e lavagem de dinheiro em mandado contra Rodrimar
Foto: Fellipe Sampaio /SCO/STF

O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), apontou indícios de corrupção, lavagem de dinheiro associação criminosa na decisão que determinou que Polícia Federal cumpra mandados de busca e apreensão na empresa Rodrimar, que atua no porto de Santos. De acordo com a Folha de S. Paulo, o mandado foi assinado pelo ministro na última terça-feira (27). Barroso é o relator do inquérito que investiga se o presidente Michel Temer, por meio de decreto, beneficiou empresas do setor portuário em troca de suposto recebimento de propina. A Operação Skala, deflagrada nesta quinta (29), além de cumprir os mandados na Rodrimar, resultou na prisão do dono da empresa, Antônio Celso Grecco, e de três pessoas ligadas a Temer: o advogado José Yunes, o coronel aposentado João Batista Lima Filho e o ex-ministro da Agricultura Wagner Rossi. Na decisão assinada por Barroso, o ministro relatou "possível cometimento de crimes como corrupção, lavagem de dinheiro e associação criminosa/organização criminosa a eles correlatos".



Histórico de Conteúdo