Domingo, 27 de Novembro de 2016 - 12:40

Wagner minimiza caixa 2 de campanha: ‘Todo mundo operou nesse sistema’

por Júnior Moreira / Fernando Duarte

Wagner minimiza caixa 2 de campanha: ‘Todo mundo operou nesse sistema’
Foto: Ricardo Luzbel/ Bahia Notícias
O ex-governador Jaques Wagner minimizou neste domingo (27) a eventual votação da anistia ao caixa 2 de campanha, cuja articulação envolveu a Câmara dos Deputados ao longo da semana e foi descartada em entrevista coletiva pelos presidente da Câmara e do Senado, Rodrigo Maia (DEM-RJ) e Renan Calheiros (PMDB-AL), e da República, Michel Temer (veja aqui). “O nome que se dá de caixa 2 dá a impressão que o cara está numa falcatrua. Não, o cara pegou aquele dinheiro e foi fazer campanha. O sistema era esse, todo mundo operou nesse sistema. Não é nem anistia, porque não foi condenado”, apontou Wagner, que assumiu recentemente a coordenação do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (Codes) na Bahia. “Eu quero contribuição de campanha, se a contribuição puder ser oficial, é sempre melhor. Aí o empresário diz: ‘Ah, eu não quero dar para que meu nome não apareça. E o cara está precisando. O sistema é esse. O cara que está fazendo a campanha dele vai dizer ‘Não quero’?. Falta uma semana para a campanha, o cara diz ‘Tenho R$ 100 mil aqui’, mas não quero que meu nome fique aí. Você vai dizer ‘não quero, muito obrigado’? E o vizinho vai pegar? O sistema é indutor disso”, explicou Wagner, admitindo que todos os interlocutores políticos sobreviveram nesse “sistema”. “O sistema político brasileiro é indutor disso que você está enxergando. As pessoas acham que financiamento público é um absurdo, o privado está demonstrado aí que sai muito mais caro para as contas públicas”, completou o ex-ministro.

Histórico de Conteúdo