De olho nas eleições futuras, fusão de PSB com PPS seria articulada por ACM Neto
Montagem: Bahia Notícias
O prefeito ACM Neto (DEM) pode ser um dos articuladores da fusão do PPS com o PSB (veja aqui, aqui, aqui, aqui e aqui) após o fim das discussões entre seu próprio partido e o PTB. De acordo com a Tribuna da Bahia, o movimento faz parte da estratégia de Neto para garantir a reeleição em 2016 e uma candidatura ao governo estadual em 2018. As outras opções possíveis seriam migrar para o PMDB ou permanecer onde está, no Democratas. O presidente nacional do PPS, Roberto Freire, afirmou ter conhecimento de uma possível ida do prefeito de Salvador para o partido resultante da fusão com o PSB, mas evitou entrar em detalhes. “Esses assuntos são os companheiros da Bahia que devem tratar. Eu tenho como prática no PPS só analisar os problemas nos estados ouvindo os próprios estados. Não vou decidir nada sem ouvir. Eu até já ouvi falar disso, mas não tive nenhuma conversa com ele [ACM Neto]”, desconversou o dirigente nacional. Da fusão das duas legendas, poderá nascer uma com sete senadores, três governadores, 45 deputados federais, 92 estaduais, 568 prefeitos, sendo quatro destes em capitais, 5.831 vereadores e 792 mil filiados. De acordo com a publicação, um dos empecilhos para a aliança é a senadora Lídice da Mata, por conta de sua adesão com o governo baiano.

Histórico de Conteúdo