Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Segunda, 11 de Maio de 2015 - 16:00

Petebistas baianos são contrários à fusão com DEM e podem sair do partido

por Luana Ribeiro

Petebistas baianos são contrários à fusão com DEM e podem sair do partido
Foto: Divulgação
Parte do núcleo estadual do PTB, contrária à fusão do partido com o DEM, se reuniu nesta segunda-feira (11) para discutir os rumos da legenda. Em entrevista ao Bahia Notícias, o deputado federal Antônio Brito afirmou que foi feita uma avaliação da questão, e não foram encontrados “pontos favoráveis” à fusão. “Somos contrários. Pela posição programática diferente, pelo PTB estar na base do governador Rui Costa, enquanto o DEM é oposição. E, além disso, estamos em cima das eleições municipais, não queremos que ninguém do DEM queira atrapalhar. Queremos trabalhar as bases do partido e fica essa indefinição”, disse. Segundo o parlamentar, além da Bahia, outros estados têm se mobilizado contra a união das duas siglas, como Minas Gerais, São Paulo e Paraíba. Com a expectativa de que nesta semana seja marcada a reunião da Executiva nacional para decidir a junção, o presidente estadual do partido, Jonival Lucas, que também esteve no encontro, decidiu se antecipar e expressar a posição contrária. “A dificuldade que nós temos é que a direção nacional tem o maior número de membros votantes, a gente nunca chegará ao número, então queremos dar a nossa demonstração para que haja o esclarecimento, demonstrar que há uma situação de descontentamento com isso”, explicou ele, que destacou que o momento é desconfortável tanto para os que são contra, quanto aos que são favoráveis à fusão. “O partido está sangrando, porque ninguém consegue tomar uma providência”, pontuou. Apesar de deixar claro sua opinião, Jonival prevê dificuldades para impedir a união. “A direção deve ter controle de uns 300 e poucos membros, e uns 200 pelo menos devem ser contra. É um número que não há chances, apesar de haver muitos estados não há vontade que essa fusão aconteça”, estimou. O dirigente prevê também um conflito irreconciliável com a chegada dos democratas, que deve fazer “um estrago tamanho na base do PTB”. “Não estamos falando de qualquer outro partido, estamos falando do DEM, com a presença de ACM Neto, que institucionalmente tem se dado bem [com o governador Rui Costa], mas é seu maior opositor. O prefeito está trabalhando sua futura candidatura, e o governador também tem seus interesses na capital, então não há possibilidade”, ressaltou. Com o impasse, o resultado deve ser a saída dos membros insatisfeitos do PTB , incluindo o vereador Edvaldo Brito, que esteve presente na reunião. “Depois de 30 anos no partido, sem movimentar, como eu ficaria agora sendo obrigado a fazer isso? Estaria contra o que eu pensei e fiz até aqui. Os partidos não são formados por pessoas amorfas, pessoas que não tem ordem ideológica. O PTB é um partido criado por Getúlio Vargas, a favor dos trabalhadores. O DEM tem posições diferentes do trabalhismo”, disse Brito.

Histórico de Conteúdo