AL-BA aumenta despesas em R$ 2 milhões por ano com cargos políticos
Foto: Max Haack / Ag. Haack / Bahia Notícias
A Mesa Diretora da Assembleia Legislativa do Estado da Bahia (AL-BA) resolveu padronizar as despesas de gabinete da Casa, de acordo com publicação no Diário Oficial do Estado do último sábado (21). A Resolução nº 122/2015 dispõe que a Corregedoria, a Ouvidoria e a Procuradoria Parlamentar terão despesas idênticas à da Primeira Vice-Presidência da AL-BA, com os mesmos limites mínimo e máximo de cargos de Secretário Parlamentar. Além disso, as despesas decorrentes correrão à conta do orçamento da Casa Legislativa. Com a decisão, o gasto da Casa irá aumentar em R$ 2,181 milhões por ano, de acordo com o jornal A Tarde. O deputado Nelson Leal (PSL) é o corregedor da AL-BA; o procurador é Adolfo Viana (PSDB); já cargo de ouvidor ainda está vago. Todos os três cargos são considerados dispensáveis na AL-BA por não terem uma utilidade prática. O presidente da Casa, Marcelo Nilo, avaliou que o valor é “muito pouco” e que não irá causar impacto nas finanças da Assembleia – que pode ter que pagar uma dívida trabalhista de R$ 128 mil por mês.

Histórico de Conteúdo