Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Sexta, 06 de Fevereiro de 2015 - 16:57

Operação no Cabula resulta em 12 mortes e três prisões; quadrilha é ligada ao Comando da Paz

por Alexandre Galvão/Luana Ribeiro/Fernando Duarte

Operação no Cabula resulta em 12 mortes e três prisões; quadrilha é ligada ao Comando da Paz
Fotos: Alexandre Galvão/ Bahia Notícias
Armas, celulares e dinheiro apreendidos durante a ação policial realizada no Cabula, na madrugada desta sexta-feira (6), foram apresentados por volta das 16h, em entrevista coletiva na sede da Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA), no Centro Administrativo da Bahia. Segundo o titular da Delegacia de Homicídios Múltiplos, Odair Carneiro, 12 homens morreram em confronto com a polícia – entre eles, um adolescente – e três foram presos em flagrante, incluindo um menor, por tráfico de drogas, roubo e resistência qualificada. Um dos mortos ainda não foi identificado. Segundo o major Agnaldo Ceita, comandante da Rondesp, três guarnições, em um total de nove policiais, envolvidas na ação foram até à Estrada das Barreiras, onde ocorreu o tiroteio, para averiguar uma denúncia de que um grupo iria realizar um ataque a caixas eletrônicos. No local, perceberam um veículo próximo à agência da Caixa Econômica Federal e a movimentação de um grupo de seis a sete pessoas. Ao se aproximarem, perceberam que os suspeitos formavam uma quadrilha de aproximadamente 30 pessoas. Ceita ainda afirmou que a polícia foi recebida a tiros e revidou a ação criminosa. Um sargento foi baleado de raspão na cabeça e foi socorrido.

Apesar do número de mortos no confronto, o major informou que não houve determinação da Secretaria de Segurança Pública para o afastamento dos policiais que participaram da operação. “Até porque foi legítima por parte dos policiais militares, utilizando de técnicas, o pessoal é treinado para isso, não objetivamos o confronto, mas estamos prontos caso aconteçam. Agimos de maneira proporcional a agressão injusta sofrida pelos policiais militares. Não há como a gente, numa troca de tiros, verificar se lá tinham 25 ou 30 pessoas contra a guarnição. Não há como controlar quantas pessoas serão baleadas”, argumentou Ceita. De acordo com a polícia, os criminosos pretendiam assaltar dois bancos na região da Rondesp Central. Nas mochilas dos assaltantes foram encontrados 6 quilos de maconha, 500g de crack e 1,5 de cocaína, além de doze revólveres calibre 38 e munição. O grupo utilizou, durante a ação, uma motocicleta, uma Saveiro branca e um outro veículo ainda não identificado. Alguns dos integrantes da quadrilha vestiam uniformes do Exército, o que, de acordo com a polícia, facilitaria a camuflagem no matagal próximo ao local onde os suspeitos estavam. Segundo o chefe do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Jorge Figueiredo, a quadrilha faz parte da facção criminosa Comando da Paz, sendo composta por alguns ex-presidiários. A polícia acredita que o grupo possa ter relação com o estouro de caixas eletrônicos ocorrido na Avenida Tancredo Neves nesta quinta (5). O Batalhão de Choque da PM, além de equipes da Rondesp, Gemeos e Esquadrão Águia estão no local para fazer segurança no local e auxiliar nas buscas do restante da quadrilha. Alguns dos fugitivos estão baleados. 

Histórico de Conteúdo