Sexta, 02 de Janeiro de 2015 - 11:25

Paulo Câmara é reeleito presidente da Câmara de Salvador

por Luiz Fernando Teixeira/ Juliana Almirante/ Alexandre Galvão

Paulo Câmara é reeleito presidente da Câmara de Salvador
Foto: Max Haack / Ag. Haack / Bahia Notícias
A Câmara Municipal de Salvador (CMS) reelegeu, nesta sexta-feira (2), o vereador Paulo Câmara (PSDB) como presidente da Casa para o biênio de 2015-2016. Com 31 votos, ele venceu em disputa um pouco acirrada o concorrente Tiago Correia (PTN). O último não conseguiu ultrapassar a hegemonia do atual titular e recebeu 10 votos. Hilton Coelho (PSOL) não votou nem em sim mesmo e não computou nenhum voto. Foi registrado ainda um voto nulo para todos os candidatos, da presidência e mesa diretora. A votação é secreta. A sessão foi marcada por alguns conflitos antes do pleito. No início, os vereadores Carballal (PT) e Kiki Bispo (PTN), questionaram que Arnando Lessa (PT) presidisse a sessão. Com Carlos Muniz (PTN) deixando a vice-presidência, o então presidente Câmara convidou Lessa para a função. Carballal voltou a questionar as cédulas de votação, porque o presidente da sessão disse que os "vereadores poderiam votar em quem quisessem". Assim, novas cédulas foram produzidas, durante os discursos de defesa das candidaturas. A apuração dos votos foi acompanhada por Carballal (PT), Hilton (PSOL) e Toinho Carolino (PTN). 
 
 
Na mesa diretora, os resultados foram: Geraldo Júnior (SD), primeiro vice-presidente (39 votos), Claudio Tinoco (DEM), 2º vice-presidente (37), Isnard Araújo (PR), 3ª vice-presidente (37), Kiki Bispo (PTN) primeiro secretário; Palhinha (PP), Alfredo Mangueira (PMDB) e J. Carlos (PT), como segundo, terceiro e quarta secretários, respectivamente; Edvaldo Brito (PTB), corregedor; Carballal (PT), ouvidor e Cátia Rodrigues, ouvidora substituta. Depois de reeleito, Paulo Câmara prometeu sentar com a mesa diretora para fazer o planejamento de 2015-2016. "Com relação ao funcionalismo público, temos que focar em três metas: auxílio-saúde, plano de cargos e vencimentos e novo concurso público. Austeridade administrativa e transparência, aproximar a casa da sociedade. O ano de 2015 será difícil, de dificuldades, tanto o governo federal quanto estadual já sinalizaram isso, e temos que nos adequar a esse momento", resumiu. Atualizada às 11h40.

Histórico de Conteúdo