Quarta, 26 de Novembro de 2014 - 12:40

PT pode ter candidato à presidência da Câmara e fica contra outorga onerosa

por Fernando Duarte

PT pode ter candidato à presidência da Câmara e fica contra outorga onerosa
Foto: Max Haack/ Ag. Haack/ Bahia Notícias
Paulo Câmara (PSDB) e Carlos Muniz (PTN), candidatos já postos à presidência da Câmara de Salvador, podem colocar as barbas de molho. Em reunião da bancada nesta quarta-feira (26), com a presença dos presidentes dos diretórios estadual e municipal, Everaldo Anunciação e Edson Valadares, os vereadores aventaram a possibilidade de lançar uma candidatura própria. A hipótese, no entanto, foi considerada pouco provável pelo líder da bancada, Moisés Rocha. “No momento alguns vereadores são simpáticos à candidatura de Paulo Câmara (PSDB), alguns a candidatura própria do PT e alguns ao vereador Carlos Muniz (PTN)”, ponderou Rocha. O petista, todavia, admite que existe uma “quantidade significativa” dos nove vereadores que apoiam a reeleição do atual presidente, Paulo Câmara. “O que nós conversamos é que as simpatias individuais vão ficar de lado e uma comissão definirá entre oito e 10 dias alguma posição. Vamos conversar com as candidaturas já postas”, afirmou o líder da bancada. Para esse colegiado foram escolhidos os dirigentes Anunciação e Valadares, o líder da bancada, e também os vereadores Gilmar Santiago, Arnando Lessa e Suíca. A reunião de bancada serviu também para sacramentar o posicionamento dos nove vereadores sobre o projeto que altera a outorga onerosa da construção civil na capital baiana. De acordo com Rocha, “de forma unânime, os nove vereadores decidiram que esse projeto não deve ser votado, deve ser incorporado ao PDDU que deve vir ao próximo ano”. “Deveria passar pelo Conselho da Cidade, pela Comissão do Planejamento Urbano. Esse projeto não deve ser colocado e se for colocado, vamos votar contra”, antecipou o líder petista.

Histórico de Conteúdo