Caso Davi Fiúza: Família será integrada à programa de proteção
Foto: Reprodução/ Facebook
A família do adolescente Davi Fiúza, 16 anos, desaparecido no último dia 24 na localidade de Vila Verde, no Parque São Cristóvão, em Salvador, passará a fazer parte do Programa Nacional de Proteção à Vítima de Direitos Humanos. A mãe do jovem, Rute Fiúza, e suas duas filhas, compareceram na manhã desta terça-feira (11) a uma reunião da Comissão de Direitos Humanos e Segurança Pública da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA). De acordo com informações da assessoria do deputado estadual Yulo Oiticica (PT), que compõe a comissão, elas foram encaminhadas à Secretaria da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos (SJCDH) e aguardam a aprovação do pedido pela titular da pasta, Ariselma Pereira. Em depoimento à comissão, Rute afirmou que não sofreu ameaças diretas, mas que um veículo para todos os dias em frente a sua casa. Segundo seu advogado, ela deve prestar depoimento na 12ª Delegacia Territorial (12ª DT/Itapuã), que é responsável pela área. De acordo com a Polícia Militar, apesar de a investigação estar a cargo da Polícia Civil, a Corregedoria da PM apura o envolvimento de policiais militares no caso, conforme relatado pela mãe do rapaz. Segundo Rute, o garoto conversava com uma moradora da região quando foi abordado por policiais, encapuzado, teve os pés amarrados, e foi colocado no porta-malas de um carro sem identificação. Com informações do G1 BA. 

Histórico de Conteúdo