Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Prova Salvador: Em anos sem Ideb, prefeitura fará avaliação semelhante à Prova Brasil
Foto: Smed/Divulgação
Aos moldes da Prova Brasil, base do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), que teve seu resultado divulgado na última sexta-feira (8), a prefeitura lançará a Prova Salvador, que permitirá criar o Índice de Desenvolvimento da Educação de Salvador (Idessa). Segundo informações da Secretaria Municipal de Educação (Smed), o exame será realizado no final de novembro, mesmo período em que é realizada a Prova Brasil. A avaliação dos alunos do 5º (Ensino Fundamental I) e do 9º ano (Ensino Fundamental II) da rede municipal será executada pela Universidade Federal de Juiz de Fora, de Minas Gerais, que foi contratada por dispensa de licitação por R$ 609.349,17, conforme publicação no último sábado (6) no Diário Oficial do Município (DOM). A pasta informou que a UFJF foi escolhida por já realizar esse tipo de avaliação em todo o Brasil por meio do seu Centro de Políticas Públicas e Avaliação da Educação (CAEd) e que o contrato pode ser feito por meio de dispensa de licitação devido à expertise da instituição e por se tratar de um órgão público federal. Na Bahia, o CAEd já elabora o Sistema de Avaliação Baiano da Educação (Sabe) para a Secretaria de Educação do Estado da Bahia, com as pesquisas Avalie Alfa e o Avalie Ensino Médio. Na Prova Salvador, como é feito na Prova Brasil, serão examinados componentes da Língua Portuguesa e de Matemática. "É a mesma matriz de referência da Prova Brasil. Se não fosse, não seria comparável", explica Teresa Pontual, subsecretária municipal de Educação. O objetivo, segundo a Smed, é ter um índice equivalente ao Ideb nos anos em que ele não é realizado (anos pares, como 2014), para conseguir “acompanhar anualmente nosso progresso e corrigir os rumos com maior rapidez”. "Nós temos as metas do Ideb no plano de estratégico e pensamos: 'temos que ter um equivalente nos anos que não tem Ideb'. Como só precisávamos fazer a prova em 2014, fizemos a contratação no prazo necessário para fazer a prova em novembro", afirma Teresa. Segundo a subsecretária, a previsão é de que o resultado da prova seja conhecido em fevereiro de 2015. Já o Idessa, cujo cálculo depende da taxa de rendimento divulgadas com o Censo Escolar, deve ser publicado entre março e abril do próximo ano. "É um exame de alta complexidade; assim como a Prova Brasil, o caderno de testes deverá ser dividido em quatro blocos, com balanceamento entre as questões de língua portuguesa e matemática", diz Teresa. De acordo com o Ideb 2013, a rede municipal manteve a média 4 no ensino fundamental I (5º ano) e teve média 3 no nível II (9º ano), um aumento de 0,2 pontos percentuais de 2011 para 2013 no nível II (9º ano). As unidades mais bem posicionadas da rede, no nível 1, são a Escola Municipal Recanto dos Coqueiros (6.5), em Pituaçu, e a Escola Municipal Dr. Eduardo Doto (6.1), em Praia Grande. No nível 2, tiveram as melhores médias as escolas municipais Elysio Athayde (4,1) e a Brigadeiro Eduardo Gomes (3,9). A pior média da rede ficou com a Escola Municipal 22 de Abril (nível 1), no bairro de Tancredo Neves, com 0,4.

Histórico de Conteúdo