Tiro que atingiu menina de 1 ano em Amargosa partiu de arma de policial civil, dizem moradores
Foto: Amargosa News
Um policial civil foi apontado por moradores de Amargosa como responsável pelo tiro que atingiu uma menina de 1 ano nesta quarta-feira (16), no bairro Catiara, localizado na entrada do município. A morte da criança culminou na invasão da delegacia da cidade por manifestantes, que depredaram e incendiaram o local. Em meio ao protesto, 14 presos da unidade foram soltos. "Ele disse que estava procurando por um bandido e que não teve a intenção de atingir a criança. Ela foi baleada na cabeça", contou um amigo da família da vítima, em entrevista ao Correio 24h. Ele acrescentou que a garota estava no colo de um familiar e chegou a ser levada ao Hospital Geral de Amargosa. A Secretaria de Segurança Pública afirmou que a arma do policial civil, cujo disparo atingiu a garota, foi apreendida e encaminhada para perícia no Departamento de Polícia Técnica (DPT). O local onde a menina foi baleada também será periciado. O titular da SSP, Maurício Barbosa, está reunido com autoridades da cidade desde as 11h. Também estão em Amargosa o delegado Moisés Damasceno, diretor do Departamento de Polícia do Interior (Depin), e a corregedora-chefe da Polícia Civil (Correpol), Heloísa Campos de Brito. A delegada de Amargosa, Glória Isabel, classificou a situação ocorrida no município como “atípica”. Entre os detentos que escaparam, relatam os moradores, estava Otaviano Souza Sampaio, 65 anos, conhecido como "Rei das Bermudas" e preso há um ano, acusado de matar e esquartejar a mulher de 29 anos em outubro de 2010.

Histórico de Conteúdo