Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Quinta, 26 de Junho de 2014 - 09:10

Sem apoio do Solidariedade, Rui Costa defende deputado Luiz Argôlo

por Juliana Almirante

Sem apoio do Solidariedade, Rui Costa defende deputado Luiz Argôlo
Foto: Evilásio Júnior/ Bahia Notícias
O pré-candidato petista ao Palácio de Ondina Rui Costa avaliou, em entrevista ao Acorda Pra Vida, da Rede Tudo FM 102,5, que as suspeitas de envolvimento do deputado federal Luiz Argôlo (SDD-BA) com o doleiro Alberto Youssef, alvo da Operação Lava Jato, da Polícia Federal, não devem ser usadas como críticas durante a campanha eleitoral. O SDD rompeu com o governo estadual e anunciou apoio ao adversário de Rui, Paulo Souto (DEM). O petista defendeu que o parlamentar não pode ser julgado e condenado antes de ter ampla defesa. Ele lembrou decisão judicial divulgada pelo próprio deputado, em que o Supremo Tribunal Federal (STF) negou pedido de abertura de processo para investigar as denúncias. “O STF negou o pedido de abrir processo contra ele, não havia indício. Eu tenho que confiar na decisão do juiz da Suprema Corte”, disse. O candidato também condenou as críticas de Souto em relação ao índice de violência no estado no governo Jaques Wagner. “O aumento no índice de homicídios foi maior no governo dele do que no governo de Jaques Wagner. Ele não é nenhuma referência de segurança pública. Muitas cidades nem delegados tinham. Não vejo nenhuma credibilidade no ex-governador para falar de segurança”, rebateu. Segundo Rui Costa, a taxa de mortes na gestão do então governador do PFL alcançou o número de 18 mil.

Histórico de Conteúdo