Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Rodoviários convocam assembleia para esta quarta: ‘Situação tende para greve’, diz sindicato
Foto: Reprodução
Após definir como provável “único caminho” a paralisação das atividades da categoria em Salvador às vésperas da Copa do Mundo, o Sindicato dos Rodoviários da capital marcou para esta quarta-feira (7) uma assembleia-geral para votar o indicativo de greve. O órgão representativo acusa o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros (Setps) de travar as negociações e não oferecer contraproposta aos trabalhadores, que pedem reajuste salarial de 15%, ticket alimentação de R$ 20, plano de saúde amplo e participação nos lucros das empresas. A reunião acontecerá na sede do Sindicato dos Eletricitários da Bahia (Sinergia), no bairro de Nazaré. Em entrevista ao Bahia Notícias, o presidente da entidade, Hélio Ferreira, disse que a situação “tende para a suspensão das atividades por tempo indeterminado”. “Tudo vai depender do posicionamento do Setps, em prosseguir ou não com as negociações. Mas, até agora, não nos deram nenhum retorno, nenhuma sinalização, nada”, afirmou. Ao BN, neste sábado (3), o assessor de relações institucionais do patronato, Jorge Castro, confirmou o bloqueio das discussões, ocasionado, segundo ele, por uma pauta “absurda” de reivindicações apresentada pelos rodoviários. “Tivemos seis reuniões, mas a pauta é muito pesada, inviável. Além dos reajustes, eles querem diminuição da jornada para seis horas e passe livre para todos os trabalhadores aposentados. Se relacionar todos esses itens, o aumento vai para quase 60%. Como vamos fazer uma oferta com pedidos assim?”, questionou. De acordo com Castro, a categoria “tenta relacionar o movimento ao Mundial, para pressionar o Setps” e, por conta disso, a questão “deveria ser tratada com urgência pela Superintendência Regional do Trabalho e pelo Ministério Público”. 


Histórico de Conteúdo