Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Segunda, 14 de Abril de 2014 - 21:40

Governo começa a discutir contraproposta da PM nesta quarta, diz Barbosa

por Luana Ribeiro

Governo começa a discutir contraproposta da PM nesta quarta, diz Barbosa
Foto: Tiago Melo / Bahia Notícias
Após reunião com as associações que representam os policiais militares, realizada nesta segunda-feira (14), o secretário estadual de Segurança Pública, Maurício Barbosa, informou que o governo começará a discutir uma contraproposta à categoria nesta quarta (16). “Apresentamos a proposta na quinta-feira que contempla pontos importantes, mas a análise de uma proposta é trabalhosa”, disse o titular da SSP, em telefonema ao Bahia Notícias, ao classificar os aspectos questionados no plano de reestruturação da PM, apresentado na última sexta (11), como “observações pertinentes”. “Vamos sentar para discutir uma saída que seja boa para a PM e para o governo”, afirma Barbosa. Na véspera da assembleia-geral da PM – na noite desta segunda já se reúne a Associação dos Oficiais da Polícia Militar da Bahia (AOPMBA-Força Invicta) –, o secretário acredita que o canal de discussão continuará aberto. “Costumo acreditar nos compromissos que assumimos. Continuo dizendo a eles que o diálogo continua aberto e vamos tentar a melhor solução para todos. Vai ter uma hora em que vamos ter que arbitrar, principalmente no que diz respeito às limitações financeiras do Estado. Estamos buscando o caminho da construção, não do radicalismo”, disse Barbosa, que destacou o pagamento das gratificações por Atividade Policial (GAP) IV e V. Outra bonificação é o Prêmio por Desempenho Policial (PDP), pago nesta segunda. O secretário, no entanto, reforçou que deseja debater mais profundamente a remuneração dos policiais. “Se nos for pedido mais algum item, nós não estamos fechados a discutir. Queremos rever o sistema remuneratório como um todo, para evitar penduricalhos, que são tantos que acabam fazendo com que o soldo permaneça baixo. O sistema remuneratório está em vigor há décadas, então não podemos rever tudo de uma hora para outra. Mas já falamos com a Aspra, a associação dos oficiais e vamos tocar a discussão”, garantiu. 

Histórico de Conteúdo