Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

A 1ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) determinou, nesta segunda-feira (4), que a TV Bahia pague R$ 50 mil ao cantor Gerônimo por danos morais e ainda divulgue, durante três dias, que o jingle “ACM meu amor” foi composto pelo artista baiano, em parceria com Vevé Calazans, falecido em 2012. A Justiça ainda determinará o valor aos possíveis danos patrimoniais causados aos músicos. A peça publicitária foi usada pelo ex-senador Antonio Carlos Magalhães – falecido em 2007 – na campanha para governador do Estado em 1990. ACM venceu a eleição. “Dinheiro, a TV Bahia tem, isso ela paga fácil. O difícil para ela vai ser dizer que nós somos os autores da música”, ironizou Gerônimo, em entrevista à coluna Tempo Presente, do jornal A Tarde. Segundo ele, existia um acordo com ACM, que poderia usar a música à vontade enquanto estivesse vivo. Quando o ex-governador morreu, a TV Bahia utilizou o jingle e Gerônimo cobrou direitos autorais, mas a emissora comandada pela família Magalhães não quis pagar, o que deu início a um imbróglio que se arrastava por anos. A emissora poderá recorrer da decisão junto ao Superior Tribunal de Justiça (STJ). "Se recorrer, vou fazer barulho em Brasília. Vou levar dois ônibus, uma banda e fazer um show para chamar atenção sobre o caso", prometeu Gerônimo.

Histórico de Conteúdo