Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Marca Bahia Notícias
Você está em:
/
Notícia
/
Política

Notícia

Religiosos pressionam Dilma por veto de projeto que regulamenta atendimento a vítimas de estupro

Religiosos pressionam Dilma por veto de projeto que regulamenta atendimento a vítimas de estupro
Foto: Reprodução
Parlamentares da bancada religiosa do Congresso querem que a presidente Dilma Rousseff vete o projeto aprovado na Câmara e no Senado que regulamenta o atendimento emergencial em hospitais a vítimas de violência sexual e estupro. Segundo informações do jornal O Globo, a ideia é convocar reunião com os ministros Gilberto Carvalho (Secretaria Geral) e Gleisi Hoffmann (Casa Civil) para tentar convencer o governo a vetar ao menos o artigo que fala em “profilaxia da gravidez”. Para a bancada religiosa, a expressão abre brecha para que a mulher possa interromper gravidez até em estágio avançado, mesmo sem a comprovação de que foi violentada e sem apresentação de boletim de ocorrência. A deputada Iara Bernardi (PT-SC), autora do projeto, nega que a finalidade da proposta seja legalizar o aborto. "A mulher vítima de violência tem que ser atendida até 72 horas após o ocorrido. Profilaxia é tomar o coquetel de remédios anti-HIV e contra doenças sexualmente transmissíveis, e a profilaxia da gravidez é a pílula do dia seguinte, que já está disponível no posto de saúde. É uma alternativa ao aborto em caso de estupro, previsto na Constituição" declarou. O grupo Promotores da Vida, ligado à Igreja Católica, anuncia um ato para esta terça-feira (16), a fim de pedir o veto da presidente Dilma à proposta.