Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Marca Bahia Notícias
Você está em:
/
Notícia
/
Geral

Notícia

Maracás: Diretor da Companhia Estadual de Desenvolvimento diz que incêndio foi criminoso

Maracás: Diretor da Companhia Estadual de Desenvolvimento diz que incêndio foi criminoso
José Vivaldo e o prefeito Paulo dos Anjos se reuniram nesta segunda em Salvador
O diretor executivo da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), José Vivaldo Mendonça, afirmou nesta segunda-feira (15) que o incêndio que destruiu quase mil cisternas do programa “Água para Todos” em Maracás, no sudoeste baiano, foi intencional. Dos 1.057 equipamentos que seriam entregues a famílias do município, 830 foram totalmente consumidos pelo fogo. O restante foi preservado ou sofreu algum tipo de dano, que precisará ser analisado antes de ser utilizado. "Foi criminoso, ocorreu na troca da guarda. Os indícios são de uso de combustível, o fogo se alastrou a partir da guarita, foi se desencadeando. Havia cheiro de combustível, segundo relato de testemunhas", afirmou o dirigente em entrevista ao G1. Nesta segunda, como antecipou o Bahia Notícias, o prefeito de Maracás, Paulo dos Anjos (PT), esteve em Salvador e se reuniu com José Vivaldo e com o gestor do programa “Água para Todos” na Bahia, Leonardo Miranda. “Não tinha como um fogo começar do nada. Estava 9°C em Maracás, muito frio. Foi na troca de vigias, não tinha ninguém lá. O local é seguro, cercado, acho que nem cigarro causaria aquilo", apontou o prefeito. Em nota enviada à imprensa, o governo da Bahia informou que as 830 cisternas serão “imediatamente” substituídas pelo governo federal. Segundo o comunicado, a reposição só aguarda a liberação do terreno pela Polícia Técnica, que realiza perícias no local, e “não deve prejudicar o cronograma de instalação dos equipamentos”. Setecentas famílias já aguardavam com expectativa a instalação dos equipamentos, responsáveis em minimizar os efeitos da seca na região.