Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Marca Bahia Notícias
Você está em:
/
Notícia
/
Geral

Notícia

Microsoft colaborou com espionagem dos EUA, diz jornal britânico

Microsoft colaborou com espionagem dos EUA, diz jornal britânico
Conversas de usuários no portal do Outlook teriam sigo acessadas pela Agência Nacional de Segurança (NSA, por seu sigla em inglês) com ajuda da própria Microsoft, uma das maiores empresas de tecnologia do mundo. A companhia americana também teria facilitado a obtenção de dados de contas no Hotmail e do serviço SkyDrive, que tem mais de 250 milhões de usuários no planeta. Segundo reportagem do jornal britânico “Guardian” desta quinta (11), outro alvo da agência teria sido o Skype, adquirido pela Microsoft em outubro de 2011. A NSA teria obtido dados em vídeo e áudio de conversas de internautas. O jornal também afirma que o material coletado é rotineiramente compartilhado com o FBI, a Polícia Federal dos Estados Unidos (EUA) e a Agência Central de Inteligência (CIA). Anteriormente, empresas do Vale do Silício negaram acusações de que estariam a colaborar com o esquema de espionagem dos Estados Unidos, com a argumentação que toda obtenção de dados de usuários teria que passar primeiro pela Justiça. No entanto, o “Guardian” afirma que ordens judiciais previamente programadas permitem que comunicações sejam acessadas sem um mandato individual se a NSA tiver ao menos 51% de certeza que o usuário não é americano e não está no território dos EUA. Para espionar um cidadão americano seria necessário um mandato individual, mas a agência seria capaz de conseguir o acesso se o usuário for estrangeiro e estiver fora do país. O jornal reforça que, segundo os dados de Snowden, a colaboração da Microsoft não estava limitada somente ao Outlook. Um registro de 8 de abril de 2013 descreve como a companhia teria colaborado por meses com o FBI, que atuaria como elo de ligação de agências de inteligência e a atuação do Prism no Vale do Silício, local que abriga algumas das maiores empresas do segmento entre elas a Microsoft, Yahoo, Google, Facebook, Apple, PalTalk, AOL, Skype e YouTube.