Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Marca Bahia Notícias
Você está em:
/
Notícia
/
Política

Notícia

Deputados baianos ratificam reajustes para médicos e professores universitários

Por Bárbara Souza

Deputados baianos ratificam reajustes para médicos e professores universitários
Foto: Max Haack / Ag. Haack / Bahia Notícias
O líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado Zé Neto (PT) resumiu assim a importância de a Casa ter ratificado, nesta quinta-feira (27), os reajustes dos salários de médicos e professores universitários do estado: “Nós mudamos a realidade da medicina na Bahia”. Segundo ele, o assunto estava em discussão “muito antes dos movimentos de rua”. No caso dos médicos, afirmou, o reajuste representa “um aumento de mais de 300%” nos vencimentos da categoria. “A Casa dá o exemplo, que não é de agora, que nós estamos a cumprir o nosso papel”, declarou, em entrevista ao Bahia Notícias, ao salientar que as decisões tomadas pelo Legislativo estadual são “uma demonstração de um parlamento forte” e de que a Casa está “sintonizada” com as manifestações que acontecem país afora. O governista citou como exemplo a aprovação da proposta que garante “ganhos reais de 46% para os professores [das universidades estaduais]”. “As ruas dizem: vem para a rua, vem. E nós dizemos: estamos nas ruas”, disse Zé Neto. Em via oposta, o líder da minoria na AL-BA,  Elmar Nascimento (PR) tem outra avaliação. “O governador que faz cara de paisagem como se essa manifestação não tivesse a ver com ele e tem”, afirmou em seu pronunciamento na tribuna da Assembleia. O parlamentar qualificou como “um dia histórico” esta quinta-feira (27) e repetiu que “o povo está cansado”.  No pacote de projetos aprovados nesta quinta pelos deputados, estão duas propostas de Emenda à Constituição (PECs). Uma delas reduz o recesso parlamentar de 90 para 60 dias e a outra institui a ficha limpa para ocupantes de cargos nos três poderes do Estado