Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Marca Bahia Notícias
Você está em:
/
Notícia
/
Geral

Notícia

Filantrópicas ameaçam suspender atendimento à Prefeitura de Salvador por causa de dívidas

A Prefeitura de Salvador tem até o dia 3 de julho para sinalizar um cronograma de pagamento do débito com as entidades filantrópicas, que prestam serviços de saúde ao município. Se isso não ocorrer, as instituições ameaçam suspender o atendimento para procedimentos eletivos – com exceção dos relacionados à oncologia e hemodiálise – durante 24 horas no próximo dia 10. A dívida já ultrapassa os R$ 52 milhões, de acordo com a Federação das Santas Casas de Misericórdia, Hospitais e Entidades Filantrópicas da Bahia (FESFBA). Na semana passada, foi realizada uma reunião entre os representantes do setor, na qual ficou decidida a possibilidade de paralisação pelo não pagamento dos serviços prestados na gestão de João Henrique. A notificação à prefeitura foi protocolada neste sábado (22), com cópias para o Ministério Público Estadual (MPE), Conselho Regional de Medicina (CREMEB), Federação das Santas Casas da Bahia (FESFBA), Ministério da Saúde (MS) e Comissão Intergestora Bipartite (CIB).  Segundo o presidente da FESFBA, Mauricio Dias, a situação das filantrópicas em Salvador é grave. A Santa Casa de Misericórdia da Bahia, por exemplo, teria a receber mais de R$14 milhões. “O mais grave é a falta de sinalização da Prefeitura sobre o cronograma de pagamentos do saldo de exercícios anteriores, tanto dos prestadores de serviços de assistência a saúde na média e alta complexidade, como dos contratos de gestão de unidades municipais de pronto atendimento e serviços especializados em saúde. Essa realidade provoca asfixia financeira, complicando o planejamento financeiro das entidades”, explicou. Com informações da Tribuna da Bahia.