Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Marca Bahia Notícias
Você está em:
/
Notícia
/
Geral

Notícia

Venezuela estuda proibir uso de mamadeiras para estimular amamentação

Venezuela estuda proibir uso de mamadeiras para estimular amamentação
Foto: Divulgação
Se no Brasil as mamadeiras de leite são as melhores amigas de muitas mães, na Venezuela o objeto pode ser proibido, por meio de uma reforma legislativa, como medida para estimular a amamentação. A informação foi divulgada nesta sexta-feira (14) por uma deputada do partido governista. De acordo com Odalis Monzón, a iniciativa faz parte de uma reformulação da Lei de Proteção, Promoção e Apoio à Amamentação, cujo debate começará na próxima terça-feira (18) no Parlamento. "Vão proibir todo tipo de mamadeira, menos em casos excepcionais em que a mãe, por doença ou morte, não possa amamentar", disse Monzón, que é vice-presidente da Comissão de Família do Legislativo. Ainda segundo ela, a medida pode ajudar a intensificar a união entre as famílias no país. "Esse amor [entre mãe e bebê] se perdeu por essas multinacionais vendendo essa fórmula [leite em pó para recém-nascidos]", opinou em entrevista ao canal estatal VTV. A possibilidade irritou os críticos do governo, que denunciam que a gestão do presidente do país, Nicolás Maduro, seguindo os preceitos de seu antecessor Hugo Chávez, se envolve cada vez mais na vida privada dos cidadãos. "Cada um é livre para alimentar o seu filho e criá-lo como melhor lhe pareça. Minha filha deixou de mamar sozinha, aos sete meses, porque não quis mais, enjoou. O que posso fazer, obrigá-la?", se queixou Ingrid Rivero, uma mãe de 27 anos. Informações da Reuters.