Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Marca Bahia Notícias
Você está em:
/
Notícia
/
Geral

Notícia

Fala Povo: População reprova mudanças no trânsito e pede por novos meios de transporte

Por Alexandre Galvão

Fala Povo: População reprova mudanças no trânsito e pede por novos meios de transporte
Foto: Bahia Notícias

Espremidos em ônibus e com um longo tempo de espera pelo transporte coletivo nos pontos de parada, as mudanças no trânsito feitas pela prefeitura de Salvador não agradaram moradores da cidade. Em levantamento feito pelo Bahia Notícias, quando questionados sobre as alterações, todos os populares entrevistados foram unânimes e disseram se sentir prejudicados. “Está péssimo. Dizem que é para melhorar, mas, até o momento, só piorou. Desde segunda-feira [3] que a gente sai do trabalho 16h e chega 20h. Está tudo engarrafado. A BR [324], a Suburbana, a cidade toda”, reclamou Maria Luiza, de 50 anos, que trabalha como copeira. Para Marcos Reis, vendedor de 23 anos, as mudanças estão surtindo efeito negativo e a situação fica cada dia pior. “Era péssimo e agora está pior ainda. Até o engarrafamento piorou”, afirmou.


Dona Maria Luiza esperou seu ônibus por 1h

O tráfego foi alterado (Veja aqui, aqui aqui,  aqui e aqui) pela prefeitura da capital baiana em diversos pontos para tentar desafogar o congestionamento e atender aos pedidos da Fifa, órgão que regula e realiza a Copa das Confederações que terá início no próximo dia 15.  Contudo, nem todo mundo disse concordar com as alterações e grande parte dos consultados apontou o metrô, cujas obras se arrastam por 13 anos, como uma das possíveis soluções para melhorar a vida dos soteropolitanos. “Para o trânsito ser mais organizado, o metrô deveria estar funcionando”, afirmou o mototaxista Anailson Santos, de 28 anos. Além do não funcionamento do dispositivo, a sua curta extensão também foi citada pelos entrevistados que disseram não se sentirem contemplados pela obra. “Não é mais nem metrô, né? Porque isso é tão pequeno que poderia se chamar de qualquer outra coisa. Sabe pra quem sobra? Para população que tem que ir espremida em um ônibus”, afirmou a advogada Samira Pastor, 29. A grande quantidade de veículos também foi apontado como um empecilho para o fluxo nas vias da cidade. “Os carros enchem muito a cidade. Faltam opções de transporte em Salvador”, argumentou Marcelo Souza, 32 anos, instrutor de trânsito.  Enquanto a população não se ambienta com as mudanças e o trânsito, no entorno da Fonte Nova, não volta ao normal, o fluxo segue intenso, motoristas continuam sem saber por onde trafegar e a população reclama. “Só muita fé em Deus”, suplicou Maria Luiza, que já esperava seu ônibus há uma hora no início da noite desta sexta.