Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Marca Bahia Notícias
Você está em:
/
Notícia
/
Geral

Notícia

Bolsa Família é irrelevante para diminuir desigualdade, aponta estudo da UNB

Bolsa Família é irrelevante para diminuir desigualdade, aponta estudo da UNB
Foto: Divulgação
Um estudo da Universidade de Brasília (UnB) mostrou que o Programa Bolsa Família contribui em apenas 1% para reduzir a concentração de riqueza no país – uma das mais elevadas do mundo. Um mecanismo estatístico criado pelos autores da pesquisa – os pesquisadores Marcelo Medeiros e Pedro Souza, que atuam no Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), além da UnB – identifica os fatores que ajudam a concentrar e a distribuir renda no país e o peso de cada um na formação do quadro brasileiro atual de desigualdades. Dos oito elementos analisados, a assistência social, formada pelo Bolsa Família e pelo Benefício de Prestação Continuada (cujo público são idosos e pessoas com deficiência carentes), é praticamente irrelevante para desconcentrar a riqueza. Nesse quesito, o impacto maior decorre do Imposto de Renda, que incide sobre os mais endinheirados, contribuindo em 10% para diminuir a desigualdade. Porém, a renda do trabalho no setor privado eleva a disparidade. Informações do jornal Correio Braziliense.