Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

PM interrompe festa promovida pela prefeitura de São Gonçalo do Campos pela 2ª vez
Foto: Reprodução/TV Bahia

Mesmo com a proibição estadual, a prefeitura de São Gonçalo dos Campos promoveu uma celebração de São João com utilização de minitrio elétrico, na tarde de quarta-feira (23). O evento foi interrompido pela Polícia Militar (PM), e a ação acabou gerando uma confusão.

 

De acordo com o Jornal da Manhã, o caso ocorreu no bairro Murilo Leite. O motorista do minitrio foi detido e colocado em uma viatura da PM. A procuradora da cidade foi chamada ao local para negociar com os policiais.

 

No dia 21 de junho a prefeitura da cidade divulgou uma nota em que informava que realizaria uma ação durante o período de São João. A ação foi chamada de “Forró Itinerante”, e tinha por objetivo, segundo a prefeitura, animar os moradores em casa. O texto ressalta que durante a apresentação musical, não seria permitida aglomerações de pessoas. Ainda na nota, o prefeito Tarcísio Pedreira diz que, se houver aglomeração, a ordem é parar imediatamente.

 

A programação do Forró Itinerante teve início às 17h30 de terça-feira (22) e o plano da prefeitura previa programação até o sábado (26). Na terça, também houve confusão com a PM, pelo mesmo motivo.

 

Após o episódio de terça a prefeitura divulgou outra nota se posicionando sobre o caso. O texto informa que a Procuradoria Geral do Município de São Gonçalo dos Campos não recebeu qualquer recomendação do Ministério Público sobre eventos, "tendo tomado conhecimento informalmente na noite de ontem (22), já quando a Polícia Militar tentava impedir a realização do evento itinerante".

Em outro trecho da nota a prefeitura sinaliza que "a recomendação do Ministério Público, como bem denominado, independente do respeito merecido ao órgão, trata-se de um pedido, de um conselho, não possuindo força vinculativa ou equiparação à decisão da Justiça".

Histórico de Conteúdo