Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Fraternos: Ex-vice em Porto, Beto Axé Moi atuou com Robério em núcleo de 'festas'
Foto: Divulgação

Eleito vice-prefeito de Cláudia Oliveira em Porto Seguro, o empresário Humberto Nascimento, conhecido como Beto Axé Moi, foi o responsável, em “parceria” com o ex-prefeito de Eunápolis, Robério Oliveira, por "adicionar" no esquema um núcleo para “fornecimento de infraestrutura para as festas de Carnaval, de São João e de Natal", apontam os investigadores. Segundo o MPF, Robério e Beto acresceram ao grupo a “organização de festas populares às suas atividades, especialmente por intermédio de contratos administrativos ilusórios”.

 

A decisão fala ainda se desvios de recursos federais para pagamento de pesquisas eleitorais no pleito de 2016, quando Robério teria encomendado o levantamento a Agenor Gasparetto, responsável pela Gasparetto Pesquisas e Estatísticas, com "assentimento de Cláudia Oliveira e Beto Axé Moi, que eram candidatos a reeleição”.

 

"Registra-se que desde o pleito de 2012, o então candidato ao primeiro mandato como vice-prefeito de Porto Seguro/BA e representado, Carlos Humberto Adolfo Gattas Nascif Fonseca Nascimento participava das encomendas de pesquisas à Gasparetto Pesquisas e Estatísticas. Através do e-mail carlos.humberto@grupohills.com.br, registra uma série de orientações a Agenor Gasparetto para a realização de pesquisa de intenções de voto relativa ao cargo de prefeito do município de Porto Seguro. Tal fato demonstra sua efetiva participação nas encomendas de pesquisas capitaneadas por José Robério Batista de Oliveira”, explicita o magistrado.

 

Na decisão, o juiz afirma que as prisões preventivas são justificadas para a garantia da ordem pública, para assegurar a aplicação da lei penal e pela conveniência da instrução criminal. Além disso, argumenta que "os crimes previstos em tese também ultrapassam a pena base mínima de quatro anos, pois há evidências de desvios de recursos, fraude em processos de licitação, superfaturamento, peculato, crime de Prefeito dentre outros".

 

Estima-se que o desvio de recursos públicos nos municípios de Eunápolis, Porto Seguro e Santa Cruz Cabrália tenha ultrapassado R$ 240 milhões.

 

Robério e Cláudia Oliveira foram presos na manhã desta terça-feira (15) (veja aqui). Beto Axé Moi é considerado foragido pela Polícia Federal após não ser localizado em endereços ligados a ele (lembre aqui).

Histórico de Conteúdo