Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Quinta, 11 de Março de 2021 - 13:20

Formosa do Rio Preto: Gestão diz que erro causou não envio de vacinas

por Francis Juliano

Formosa do Rio Preto: Gestão diz que erro causou não envio de vacinas
Foto: Reprodução / Portal Cerrado

A prefeitura de Formosa do Rio Preto, no Extremo Oeste baiano, não recebeu a última remessa de vacinas contra a Covid-19. Segundo a gestão houve um erro do sistema de dados da Secretaria da Saúde do Estado [Sesab]. Conforme a pasta, municípios que não atinjam a meta de 85% de vacinação não recebem as doses seguintes de vacina contra a Covid-10.

 

Na região, Formosa do Rio Preto e outros municípios não receberam a última remessa, caso de Cotegipe, Riachão das Neves e Santa Rita de Cássia. “O que houve foi um erro de verificação [da Sesab]. O município, inclusive, passou de 100% de aplicação das doses que recebeu. Chegou 810 e aplicamos 835. Mas por que isso ocorreu? Porque vieram frascos multidoses. E a maioria tinha 11, 12 doses em cada frasco”, relatou ao Bahia Notícias Adailde Guedes. Segundo ela, o problema já foi resolvido e a Sesab deve enviar ainda nesta semana mais uma leva de vacinas contra a Covid-19.


QUILOMBOLAS

Em Formosa do Rio Preto, moradores da comunidade quilombola Buritizinho Barra do Brejo ainda não foram vacinados. A estimativa é que haja cerca de 50 famílias na localidade. Segundo a coordenadora da vigilância, o grupo não estaria na condição de prioritários. “Pelo que sabemos, eles não estão nessa primeira fase, que diz que a prioridade são profissionais de saúde, idosos acima de 65 anos, idosos institucionalizados acima de 60 anos, indígenas e povos de comunidades ribeirinhas. Se estiverem nós iremos vacinar”, diz.

 

Segundo a Sesab, povos quilombolas estão na primeira fase de grupos prioritários. Como essa fase ainda não foi concluída, os quilombolas devem ser vacinados ainda nesse primeiro momento.

 

Até o momento, o município já registrou 578 casos confirmados de novo coronavírus, sendo nove ativos, e 16 óbitos.

Histórico de Conteúdo