Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Quarta, 25 de Novembro de 2020 - 18:20

Cabrália, Firmino Alves e Brejolândia seguem com candidaturas em Sub Judice

por Vitor Castro

Cabrália, Firmino Alves e Brejolândia seguem com candidaturas em Sub Judice
Foto: Divulgação / TRE

Após o Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA) aceitar o pedido de registro da candidatura de Moacyr Leite (DEM), prefeito reeleito na cidade de Uruçuca, no Litoral Sul, outros três candidatos eleitos podem não assumir a gestão das prefeituras por apresentarem  questões judiciais em aberto.  

 

Em Santa Cruz de Cabrália, na Costa do Descobrimento, Agnelo Santos (PSD) teve 5.840 votos. O equivalente a 40,12% dos votos validos, mas a sua eleição está anulada sub-judice pela lei da Ficha Limpa. 

 

Já na cidade de Firmino Alves, no Médio Sudoeste da Bahia,  o candidato Padre Agnelo (PDT) teve 2.092 votos, o equivalente a 50,01% dos votos válidos no município, mas teve a eleição anulada por abuso de poder.  

 

Em Brejolândia, na Bacia do Rio Corrente, apesar de Edézio Bastos (DEM) ter tido 3.983 votos, 53,94% dos votos válidos, a sua eleição também está anulada sub-judice também pela Lei da Ficha Limpa.

 

De acordo com o TRE, caso os candidatos não consigam  resolver os impasses jurídicos até o dia 31 de dezembro deste ano, caberá ao próximo presidente eleito da Câmara de Vereadores de cada município assumir a prefeitura até que haja reversão da decisão desfavorável para que candidato eleito possa ser diplomado.

 

Caso o indeferimento da candidatura não seja revertido judicialmente, novas eleições serão realizadas no município em questão. 
 

Histórico de Conteúdo