Orcas cercam barco de pescadores em Itacimirim; 'não atacam humanos', diz biólogo
Foto: Reprodução / TV Bahia

Um grupo de orcas cercou o barco de dois pescadores na costa do distrito de Itacimirim, no município de Camaçari, Região Metropolitana de Salvador, na tarde deste domingo (13). Os animais acompanharam a embarcação por cerca de duas horas, enquanto "brincavam" entre si. As informações são do portal G1.

 

No barco, estavam Geovani da Silva e Carlos Geovani, pai e filho respectivamente. No momento em que saíram para a pesca, Geovani comentou que o mar estava estranho, porque ultimamente muitas baleias jubartes ficavam na região e, no domingo, não viu nenhuma no mar. Segundo ele, a "visita" causou um misto de alegria e medo.

 

"Depois, já no mar, eu olhei e disse: 'Olha uma baleiazinha ali'. Aí quando meu filho olhou, falou: 'Meu pai, não é uma baleia jubarte, não. É uma orca'. Aí a gente começou a fazer a filmagem. Elas começaram a se aproximar lentamente, a se acostumar com a embarcação, depois uma agarrou o isopor, quebrou ele e depois voltaram para a embarcação. Aí foi uma alegria maravilhosa, mas depois o negócio foi apertando, né?", contou.

 

Todo o encontro foi filmado pelos dois, que se divertiram com a aparição das orcas. Os animais acompanharam os pescadores até o anoitecer e começaram a bater no fundo da embarcação, assustando pai e filho, que resolveram voltar mais cedo da pescaria.

 

"Foi uma experiência boa, maravilhosa, mas eu não queria passar de novo não. Foi entrando a noite, e a gente começou a ficar com medo, na realidade, né? A gente não sabia como elas iam se comportar de noite, o que elas queriam com a gente. Então a gente teve que voltar da pescaria de noite", disse Geovani.

 

As orcas ficaram marcadas negativamente no imaginário popular por conta do filme “Orca, a Baleia Assassina”, de 1977, dirigido por Michael Anderson. Na obra de ficção, o animal ataca pescadores que, tentando capturar um tubarão branco, mataram acidentalmente a sua família. O biólogo Francisco Kelmo explicou que, apesar do susto, as orcas são golfinhos que não atacam humanos e o fato delas estarem em grupos é normal.

 

"De acordo com o vídeo, tudo indica que havia oito animais ali naquela área, uma família completa. Como a embarcação estava muito próxima aos animais, elas se aproximaram ainda mais. Qualquer dano causado ao barco foi puramente acidental, não existe essa possibilidade das baleias atacarem a embarcação. E, claro, elas estavam ali, elas vivem em grupos e não existe nada de anormal. E lembrando a todos: não são baleias. Orcas são golfinhos", explicou.

Histórico de Conteúdo