Porto Seguro: Hospital nega desligamento de médica bolsonarista por ordem de governador
Foto: Reprodução / Instagram

O Hospital Luis Eduardo Magalhães em Porto Seguro, na Costa do Descobrimento, negou que tenha desligado uma médica apoiadora de Bolsonaro por ordem do governador Rui Costa. Em nota oficial, a unidade de saúde declarou que Raissa Soares não aceitou a proposta de renovação do contrato com aumento de carga horária. Antes, afirma o hospital, a médica trabalhava em dois plantões mensais.

 

Ainda conforme a unidade, foi a própria médica que não optou pela renovação do contrato ao afirmar aumento de demanda de trabalho em uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) onde é diretora. “A diretoria do HRDLEM lamenta essa deturpação dos fatos. A abordagem foi para ampliação da jornada, uma vez que a escala vem necessitando de reforços. A profissional, no entanto, reconheceu suas dificuldades frente aos compromissos externos que executa, e compreendemos o seu relevante papel. Reitero que o nosso compromisso é com a saúde da população", diz trecho da nota do hospital.

 

Na última terça-feira (30) Raissa Soares fez um apelo ao presidente Jair Bolsonaro. Ela pedia hidroxocloroquina para pacientes.  Até o momento, o medicamento não é reconhecido como eficaz pela ciência, e a Socidade Brasileira de Infectologia não recomenda o uso para pacientes com Covid-19.

Histórico de Conteúdo