Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Terça, 28 de Abril de 2015 - 10:20

Ubatã: Em torno de 2,5 mil alunos ficarão sem aula por atraso de terceirizada

por Francis Juliano

Ubatã: Em torno de 2,5 mil alunos ficarão sem aula por atraso de terceirizada
Foto: Reprodução / Ubatã Notícias
Escolas da rede estadual de ensino de Ubatã, no Médio Rio de Contas, sudoeste do estado, estão prejudicadas pela falta de serviços essenciais. Com isso, em torno de 2,5 mil alunos devem ficar sem aulas na cidade. Só no principal colégio do município, o Colégio Estadual de Ubatã (CEU), os 1.303 alunos já não têm aulas desde a última quarta-feira (22). Segundo o diretor da unidade, Herbert Santos, atrasos no pagamento dos servidores pela empresa Sandes são os motivos pela paralisação das atividades. “A gente não tem condição nenhuma de continuar trabalhando sem o apoio desses servidores”, disse Santos, contatado pelo Bahia Notícias. Na sexta-feira (24) passada, a terceirizada informou que pagaria os funcionários. “Pelo que fiquei sabendo, quando eles [servidores] foram no caixa no sábado (25) e nesta segunda (26), não encontraram nada”, contou. Na cidade, os servidores informaram que só retornam à ativa quando forem pagos. Alguns deles estão há quatro meses sem receber. Segundo o secretário-geral da APLB-BA [sindicato dos professores do estado], Claudemir Nonato, a questão de Ubatã é sintomática da relação das empresas terceirizadas na Bahia. “Essa crise vem desde o governo Wagner. É por isso que somos contra as terceirizações nos serviços públicos, principalmente na educação”, declarou Nonato ao BN. 


Histórico de Conteúdo