Juazeiro: Prefeito diz que Aleluia é inimigo dos servidores municipais
Foto: Reprodução / Cartaz da Cidade

Em resposta à denúncia formulada pelo deputado José Carlos Aleluia ao Ministério Público, na qual acusa a prefeitura de Juazeiro de praticar irregularidades na doação de um terreno (veja aqui), o prefeito Paulo Bomfim criticou o parlamentar: “Na falta do que fazer, Aleluia aderiu à onda das Fake News. Desta vez, porém, perdeu completamente a noção do ridículo e resolveu perseguir os servidores públicos municipais ativos e aposentados. Ele não quer a construção da sede própria do IPJ”. Na opinião do chefe do executivo, a denúncia não passa de uma ação eleitoreira. “Sem votos e sem jamais ter trabalhado por Juazeiro, o deputado José Carlos Aleluia tem ultimamente tentado criar polêmicas numa busca desesperada por holofotes”, disse Paulo.

 

O prefeito assegura que ato de doação da área que abrigará a sede do Instituto de Previdência de Juazeiro é completamente legal, tendo sido aprovado na Câmara de Vereadores. “Um ente público, a Prefeitura Municipal de Juazeiro, fez o repasse do espaço que abriga um prédio sem utilização para que o IPJ, outro ente público, que hoje funciona em um local alugado, construa a sua sede própria”, afirmou. Paulo ainda lembrou os escândalos envolvendo o parlamentar: “Acostumado a sujeiras envolvendo seu nome, Aleluia frequentou os relatórios da CPI dos Anões do Orçamento em 93. O DEM naquela época chamava-se PFL. Mudou o nome, mas a essência continuou a mesma. À época, ele foi denunciado por José Carlos Alves dos Santos (funcionário do Congresso, e pivô do escândalo) como um dos deputados a desviar recursos do Orçamento. Nas deleções da Odebrecht, Aleluia também é acusado de receber caixa 2”.

 

Por fim, o prefeito cobrou atitudes positivas de Aleluia: “O aliado de Michel Temer jamais fez nada por Juazeiro, poderia tentar aparecer de outra forma. Uma sugestão seria destinar recursos para a cidade, onde jamais colocou um real de investimentos”.

Histórico de Conteúdo