Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Aos 69 anos e sem vacina, Baby alega direito de decidir se quer 'colocar essa zorra dentro' de si
Foto: Victor Affaro/Divulgação

Aos 69 anos, Baby do Brasil já planeja voltar a se apresentar em shows presenciais, mas ainda não tomou sequer a primeira dose da vacina contra a Covid-19. Em entrevista a Zeca Camargo, no "Splash Entrevista", a cantora falou sobre a resistência ao imunizante.

 

“Eu estou pegando, no mundo inteiro, todas as pesquisas sobre tudo que estou colocando dentro do meu corpo [...] Eu vou fazer 70 anos, no ano que vem, com o corpinho de 20. Tenho todo o direito de decidir se quero colocar essa zorra dentro de mim ou não”, justificou a artista, cujos filhos já foram imunizados. "Não tenho nada, a princípio, contra. Eu só quero entender o que estou botando dentro de mim", acrescentou. 

 

Apesar de ser algo comum nas vacinas contra outras enfermidades, o fato dos imunizantes contra o novo coronavírus não garantirem 100% de proteção preocupa a cantora. "Eu vi o Agnaldo Timóteo falecer, Pepeu tomou e apavorou quando Agnaldo faleceu. A gente fica apavorado de querer entender, com muito carinho, qual é nossa medicação, mas nada contra. Vacina sempre é muito bem-vinda", comentou Baby, insinuando que a própria substância poderia ter causado problemas para a saúde de seu ex-marido, Pepeu Gomes, e a Agnaldo Timóteo.

 

Zeca Camargo, então, questiona a artista sobre a falta de informações mencionada por ela e lembra que o tema é amplamente explorado na imprensa, que tem mostrado, inclusive, a queda das mortes após o início da vacinação. "Eu tenho péssimas informações, mas eu não me influencio pela péssima ou pela boa, eu só quero sentir e dizer se vou ou não. No momento até agora eu não senti", disse Baby, destacando, no entanto, que a resistência não se trata de questão ideológica. "Temos que ter o direito de sentir. Exemplo, se você está cismado com uma coisa, você não vai fazer. A cisma é um sinal", explicou. 

 

Durante a entrevista, a cantora contou ainda que para lidar com o momento tem um grupo no celular com “todas as informações mundiais para estudar”. Ela garantiu também, que o retorno aos palcos respeitará os protocolos sanitários e terá toda equipe vacinada (menos ela).

Histórico de Conteúdo