Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Sexta, 09 de Abril de 2021 - 14:40

Bruno anuncia para próxima semana licitação de reconstrução de monumento de Mário Cravo

por Bruno Luiz / Jamile Amine

Bruno anuncia para próxima semana licitação de reconstrução de monumento de Mário Cravo
Foto: Divulgação

Em entrevista coletiva realizada nesta sexta-feira (9), o prefeito de Salvador, Bruno Reis, anunciou que na próxima semana será lançada a licitação para a reconstrução do “Monumento à Cidade de Salvador”, também conhecido como “Monumento Fonte da Rampa do Mercado”, de autoria do artista plástico baiano Mário Cravo Júnior.

 

Localizada no bairro do Comércio, próximo ao Elevador Lacerda, a obra foi destruída por um incêndio em dezembro de 2019 (relembre). Um dos mais emblemáticos cartões postais da capital baiana, a obra foi pivô de um imbróglio que envolve a prefeitura municipal e a família do artista, por conta de direitos autorais (saiba mais aqui e aqui).

 

Em janeiro, Fernando Guerreiro, presidente da Fundação Gregório de Mattos (FGM) - órgão vinculado à Secretaria Municipal de Cultura e Turismo responsável por cuidar do patrimônio histórico, cultural e artístico da cidade -, estimou que a escultura deve ser reinaugurada no segundo semestre deste ano, desta vez com material anti-chamas (relembre). 

 

“Todo o termo de referência está pronto e agora já estamos partindo para a licitação. Então, uma vez licitada e a empresa ganhando essa licitação, a gente começa a execução da obra. Eu acho que em setembro ou outubro a gente está com isso aí para inaugurar”, disse Guerreiro, à época, em entrevista exclusiva ao Bahia Notícias.

 

“A gente contratou o professor Mário Mendonça, que é um excelente arquiteto, para fazer todo o termo técnico da licitação, porque uma licitação não embasada para um projeto desses poderia gerar um monumento que não fosse fiel”, acrescentou o presidente da FGM.

Histórico de Conteúdo