Domingo, 16 de Outubro de 2016 - 12:09

‘A nossa visibilidade ainda é diminuta’, diz Conceição Evaristo sobre literatura negra

por Ailma Teixeira, de Cachoeira

‘A nossa visibilidade ainda é diminuta’, diz Conceição Evaristo sobre literatura negra
Foto: Ailma Teixeira / Bahia Notícias
Com contos, romances e poesias publicadas, a autora mineira Conceição Evaristo é reconhecida como uma grande escritora brasileira, sobretudo, por contribuir para a valorização da literatura negra. Na mesa “As Águas dos Contrassonetos e os Olhos da Vândala Insubmissão”, apresentada ao lado do poeta baiano Alex Simões, na Flica, nesse sábado (15), a escritora emocionou a plateia, que a aplaudiu de pé. Em entrevista ao Bahia Notícias, Conceição comentou os desafios de espaço para a divulgação do trabalho de autoras negras. "Agora, nesse momento, é que as mulheres negras começam a ter uma visibilidade relativa, mas se você leva em consideração, por exemplo, a literatura produzida por mulheres na contemporaneidade, você vai ter muito mais holofotes ou a crítica literária trabalhando com brancas", avalia a mineira. Para Conceição, cabe a imprensa e demais meios de comunicação dar cobertura aos que chama de "invisibilizados". Ela explica que esses trabalhos só tinham reconhecimento na universidade. "A autoria negra aparece quando pesquisadores se debruçam sobre essa produção, mas a nossa visibilidade, em relação às mulheres brancas, ainda é diminuta”. 

Histórico de Conteúdo