Domingo, 16 de Outubro de 2016 - 00:00

Para comerciantes de Cachoeira, Flica representa aumento de lucros em até 200%

por Ailma Teixeira, de Cachoeira

Para comerciantes de Cachoeira, Flica representa aumento de lucros em até 200%
Gerente afirma aumento de 200% no lucro | Foto: Ailma Teixeira / Bahia Notícias
Parece unanimidade entre os comerciantes que a Festa Literária Internacional de Cachoeira (Flica) traz benefícios à economia da cidade. As pousadas ficam lotadas, restaurantes sempre cheios e os empreendedores veem uma oportunidade de ampliar seus negócios. É o caso de Gisele Oliveira, que criou a marca de acessórios artesanais "Quilombelas" há quatro anos. Gisele conta que o negócio nasceu quando estava prestes a acontecer a terceira Flica, então aproveitou o momento para divulgar seu trabalho com um stand na praça. "O plano já era de continuar, mas a Flica foi um grande incentivo porque a gente vendeu muito", conta a artista. De lá para cá, Gisele não deixou de expor seu trabalho em nenhuma edição e até incentivou amigos a fazerem o mesmo.



Gisele comercializa as peças da marca 'Quilombelas' | Foto: Ailma Teixeira / Bahia Notícias 

Situação parecida levou Cyntia de Azevedo a estender o Centro Espírita Casa dos Velhos para a Praça Treze de Maio. O centro, que neste ano comemorou 46 anos, há quatro transfere seu ponto de compras para as ruas nos dias da Festa Literária. "As vendas aumentam muito, inclusive, a gente sai do centro e traz a literatura espírita para as ruas e isso é importante pra divulgação do movimento", aponta a presidente da Casa. De acordo com Cyntia, as vendas chegam a crescer cerca de 70% a 80% no período. Um crescimento ainda maior é notado nos restaurantes. Segundo o gerente Adilson Conceição, do FristiqueRestaurante e Pizzaria, o lucro aumenta em cerca de 200%. "A gente coloca três pessoas a mais pra ajudar nessas situações porque ajuda muito o negócio", afirma.



Cyntia, à direita, celebra aumento de vendas e divulgação do Centro Espírita | Foto: Ailma Teixeira / Bahia Notícias 

Cidade com cerca de 35 mil habitantes, Cachoeira fica mais povoada com suas pousadas cheias. Visitantes que não encontram vaga chegam a se hospedar em cidades circunvizinhas, como São Félix e Muritiba. "Nesse período, a gente tem ocupação de 100% dos quartos e do restaurante. A gente está vendo aumento de demanda grande de escola, de estudante, que vem passar o dia aqui, almoça e volta", explica Edson Oliveira, gerente da Pousada do Convento. Oliveira acrescenta ainda que isso contribui para a divulgação da cidade e fortalece o turismo no ano inteiro.

Histórico de Conteúdo