Terça, 12 de Maio de 2020 - 10:10

Carreiras UniFTC: O desafio da Enfermagem no enfrentamento da Covid-19

por Jimi Hendrex Medeiros de Sousa

Carreiras UniFTC: O desafio da Enfermagem no enfrentamento da Covid-19
Foto: Divulgação

A Organização Mundial da Saúde (OMS) definiu que 2020 é o ano internacional de profissionais de Enfermagem. O marco comemorativo tem o objetivo de reconhecer o trabalho feito por enfermeiros e enfermeiras em todo o mundo, bem como defender mais investimentos para esses profissionais e melhorar suas condições de trabalho, educação e desenvolvimento profissional.


A Enfermagem só não tinha a dimensão do quão desafiador seria este ano por se colocar a frente de uma grave pandemia pela Covid-19, onde milhares de profissionais já foram acometidos pela doença e, no Brasil, o número de óbitos de enfermeiros e técnicos de enfermagem já passam de cem. 


Em que pese reconhecer que a enfermagem é imprescindível para todos os serviços que compõe a Rede de Atenção à Saúde (RAS), as condições de trabalho precárias, o baixo salário e uma carga horária excessiva são marcas profundas no sistema de saúde, em especial, o sistema público, e que precisa de um olhar mais específico e sensível por parte dos gestores públicos e uma maior contundência nas ações programáticas de fiscalização por parte das entidades representativas da Bahia. 


Segundo a OMS, o mundo precisa de mais 9 milhões de enfermeiros para atingir a meta de cobertura universal de saúde até 2030. Nas Américas, a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) destaca que são necessários 800 mil profissionais de saúde a mais, incluindo pessoal de enfermagem e obstetrícia. No Brasil, a falta de um dimensionamento adequado impacta na qualidade dos serviços e sobrecarga para equipe de enfermagem. 


Estes profissionais desempenham um papel vital na prestação de serviços essenciais de saúde em todos os níveis de atenção e são cruciais para promover a saúde e prevenir doenças, com foco voltado para integralidade do cuidado, tornando-se necessária para o desenvolvimento humano e qualidade de vida. Portanto, investir em enfermagem significa oferecer saúde para todos e todas, o que terá um efeito profundo na saúde global e no bem-estar. 


*Jimi Hendrex Medeiros de Sousa é Mestre em Enfermagem e Coordenador do curso de Graduação em Enfermagem da Rede UniFTC
 

*Os artigos reproduzidos neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do Bahia Notícias

Histórico de Conteúdo