Domingo, 11 de Agosto de 2019 - 08:00

Pai

por André Curvello

Pai
Foto: Tiago Dias/ Bahia Notícias

Pai,


A semana foi dura dentro desta guerra que é a vida. Mas tenho a impressão de que venci mais uma batalha. 


Neste corre-corre da vida, quase não tive tempo de ver minha mãe. Que tolo que sou! Deixar a velocidade do cotidiano me impedir de pelo menos almoçar com minha mãe, beijá-la, ouvir suas queixas e reclamações. Pedir mais tempo e me oferecer uma refeição extravagante.


Pai, sempre que posso, vou ao Bonfim nas manhãs de domingo, onde renovo minhas energias, peço perdão e proteção. Peço família. Pouco peço pra mim por não me achar merecedor de mais nada. Tenho amor no coração, tenho paz, tenho fé. Sou Feliz. Não posso pedir mais nada para mim.


Mas naquela colina sagrada e naquele santuário, sempre faço um pedido especial para minha mãe e meus filhos. Sempre rezo também pelos pobres de espírito e pelos que cultivam o ódio no coração.


Pai, hoje é sexta-feira. Já não espero mais aqueles seus telefonemas insistentes para dormir no sítio. “Vou comprar siri, lambreta e caranguejo. Estou te esperando”. Não, o sítio não existe mais. Já não posso esperar.


O Flamengo joga no sábado e bem provavelmente não iremos assistir ao jogo juntos. Depois de driblar o rebaixamento várias vezes, parece que o time vai se encontrando. Já o Vitória, não vai nada bem. Mas eu ainda confio no Leão.


Alguns sustos pelos quais passamos e sobrevivemos merecem ser comemorados. São vitórias da vida. Como também são vitórias as conquistas: o sucesso. Procuro comemorar reunindo a família e os amigos sempre com a presença de um bom whisky.


Pai, tenho procurado ser solidário e não perder qualquer oportunidade de ajudar as pessoas, principalmente aquelas que mais precisam. Tento ser amigo lembrando sempre uma frase sua: “Gosto de ser amigo. É bom. Ajuda a compreender o sentido da vida”.


O domingo tá chegando e adivinhe: é o segundo domingo de agosto, ou seja, dia dos pais.  Uma data que passou a ser metade chata. Não é legal ser pai e não ter o pai neste dia.


Mas quem disse que eu não tenho pai?  Todos os dias te sinto ao meu lado, sorrindo, chorando, me aconselhando, me dando as mãos nos momentos que mais preciso. Sempre ouço suas críticas e ponderações, sempre recordo dos exemplos. Sempre internalizei: é preciso ser melhor, é preciso prosseguir; superar-se sempre.


Tenho pai, sim. E vou comemorar a data com um escaldado de peru feito por Ledinha.


Parabéns, pai. Feliz dia!

 

* André Curvello é secretário estadual de Comunicação e empresário

 

* Os artigos reproduzidos neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do Bahia Notícias

Histórico de Conteúdo