Terça, 29 de Janeiro de 2019 - 10:00

Carreiras FTC: A carreira de um jovem começa quando termina o Enem

por Alessandra Calheira

Carreiras FTC: A carreira de um jovem começa quando termina o Enem
Foto: Divulgação

Até alguns dias atrás, uma parte do país estava envolvida na realização e nos desdobramentos do Enem. Uma avaliação que quase sempre é cercada de muita tensão e expectativa e que também representa uma excelente oportunidade para os jovens se auto avaliarem e começarem a traçar os rumos que desejam para as suas próprias vidas. A escolha da profissão é uma daquelas divisoras de águas. É essa decisão que costuma projetar a trilha que se deve percorrer nos próximos anos. Um caminho que pode levar a terrenos mais atrativos que outros, mais leves que outros, mais valorosos que outros. Talvez por conta da pouca vivência, existam detalhes neste processo que passem despercebidos por algumas pessoas. Alguns temas são bem óbvios e outros nem tanto. A ideia da coluna deste mês é tratar um pouco sobre eles.


A escolha do curso e da instituição de ensino são as primeiras decisões relevantes que estão no rol das mais óbvias. Ao escolher a profissão, deve-se levar em consideração as próprias aptidões, interesses cognitivos e os rendimentos almejados. Defendo que, em um cenário dinâmico e imprevisível como o que vivemos, precisem ainda ser observadas a amplitude do mercado e a flexibilidade para uma eventual migração entre áreas. Muitas carreiras proporcionam uma flexibilidade natural quando se investe em cursos complementares, por exemplo. É legal ter em mente, também, a viabilidade de atuações diversas como nas áreas acadêmica, científica, empresarial ou de atuação nas esferas pública ou privada. Essa abrangência proporciona um certo conforto para o caso da pessoa não se adaptar totalmente à área escolhida ou sofrer com dificuldades no ingresso. 


Outro fato importante é que as empresas, muitas vezes, selecionam seus funcionários levando em consideração a instituição associada a um currículo. Para além da reputação construída pelo marketing, é necessário verificar a qualidade das graduações a partir da observação dos índices de avaliações do MEC. O Ministério da Educação atribui notas, que vão de um a cinco, a partir de um processo de avaliação rigoroso. Para estabelecer a nota, avaliadores examinam detalhes do corpo docente, da qualidade do serviço prestado, dos projetos desenvolvidos, da relação com alunos e colaboradores, entre muitos outros fatores. Uma boa dica é observar a existência de serviços que a instituição presta para apoiar o aluno no planejamento da sua carreira, na inovação, na realização de eventos complementares e no acesso ao intercâmbio.

 
Quando alguém decide se tornar competitivo no mercado de trabalho deve ficar atento à construção da sua marca pessoal desde o início e as instituições de ensino são lugares ricos em experiências para o desenvolvimento de competências. A gestão do tempo, os conflitos que surgem em trabalhos em equipe, a maneira como se apresenta em público e que se relaciona com professores e colegas ajudam a construir uma identidade. Quem nunca preteriu um colega de baixo desempenho ou comportamento ruim em detrimento de outro que possuía melhores entregas? Fazemos isso desde sempre, na universidade e nas empresas. O mercado seleciona os melhores. As instituições de ensino também. Oferecem, inclusive, planos de ingresso aos jovens que obtiveram bons índices do Enem.  


Para começar uma carreira com o pé direito, é importante fazer boas escolhas desde o início. Carreira é vida. Em boa medida é a ela que vai ajudar a construir a identidade, a influenciar nas experiências vividas e, entre outras coisas, a facilitar acesso a bens de consumo. Boa Sorte!

 

* Alessandra Calheira é Líder do Setor de Carreiras da Rede FTC

 

* Os artigos reproduzidos neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do Bahia Notícias

Histórico de Conteúdo