Bahiafarma garante registro da Anvisa para a fabricação de teste rápido de febre amarela
Foto: Divulgação

Responsável pela fabricação do teste rápido de febre amarela, a Fundação Baiana de Pesquisa Científica e Desenvolvimento Tecnológico, Fornecimento e Distribuição de Medicamentos (Bahiafarma) garantiu o registro da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Com essa autorização, a Bahiafarma passa a ser um dos poucos laboratórios do mundo a fabricar dispositivos de diagnóstico rápido para as principais arboviroses (dengue, zika, chikungunya e febre amarela). Além disso, o teste rápido para diagnóstico de febre amarela, denominado YFV IgC / IgM Bahiafarma, é globalmente pioneiro no diagnóstico de infecções recentes ou tardias da doença. Com uma pequena quantidade de amostra, o dispositivo é capaz de identificar se o paciente teve contato recente (IgM) ou anterior (IgC) com o vírus da doença. O resultado é conhecido em até 20 minutos. "O diagnóstico rápido da febre amarela possibilita que o paciente seja tratado com mais celeridade, ampliando suas possibilidades de cura", explica Ronaldo Dias, diretor-presidente da fundação. "O dispositivo também pode ter papel relevante nas estratégias públicas de combate ao avanço da doença por conseguir mapear em tempo real o surgimento de casos nas diversas regiões do país", acrescenta. Esse registro também amplia as ferramentas de diagnóstico da entidade, que já disponibiliza dispositivos para identificação de infecção por zika, dengue e chikungunya. A Bahiafarma obtém também registros para a fabricação de outras soluções diagnósticas, como os testes rápidos para HIV, sífilis e leishmaniose.

Histórico de Conteúdo