Entrevistas

‘Não há como ter certeza absoluta’, diz presidente do MSF-BR sobre entrada do ebola no Brasil

A maior epidemia de ebola de todos os tempos tem devastado a Guiné, Libéria e Serra Leoa, e vitimou mais de 4,5 mil, segundo os últimos relatos da Organização Mundial da Saúde (OMS). Para o presidente do escritório brasileiro da organização internacional Médicos sem Fronteiras (MSF), Mauro Nunes, a situação desses países se tornou ainda mais caótica pelo colapso dos sistemas de saúde locais. “Por causa do ebola, as unidades de saúde estão fechando na África e os profissionais estão ficando com medo”, disse Nunes em entrevista ao Bahia Notícias. Na conversa pelo telefone, Nunes, que é carioca com mãe adotiva baiana, detalhou como é feito o trabalho de profissionais do MSF contra o ebola (“não é para amadores”), opinou sobre a falta de espírito público de carreiras de saúde (“não é só formar o medico ou o enfermeiro, mas é preparar as pessoas”), e disse que apesar de o Brasil ter sido bem-sucedido no caso da suspeita (rechaçada) de ebola do guineano, afirmou que “não há como ter certeza absoluta” se o país vai poder controlar o vírus caso ele chegue ao território brasileiro.

Veja mais

Diagnóstico do Leitor

Médicos baianos protestam por mais ética na política neste domingo

Que tal uma caminhada por mais ética na medicina?

19/10/2014 - 08:55

William Ferreira de Azevedo

Veja mais

Quinta, 14 de Novembro de 2013 - 09:45

Vídeo mostra recém-nascidos gêmeos no banho com se estivessem em útero

Um vídeo de bebês gêmeos dentro de uma banheira como se ainda tivessem no útero da mãe tem repercutido nas redes sociais nos últimos dias. As imagens mostram os recém-nascidos abraçados em uma técnica chamada de "Baby Bath Spa" desenvolvida pela assistente social francesa Sonia Rochel que possibilita maior interação entre os pequenos. Na experiência, o banho pode durar até quinze minutos. 


Comentar

   

Notícias Relacionadas

Histórico de Conteudo