Projeto que cria linhas de crédito para Santas Casas é aprovado pela Câmara
Foto: Divulgação

O projeto de lei 7606/17, que cria o Programa de Financiamento Preferencial às instituições Filantrópicas e Sem Fins Lucrativos, conhecido como Pró-Santas Casas, foi aprovado pela Câmara dos Deputados nesta terça-feira (15) e segue para sanção presidencial. O projeto estabelece duas linhas de crédito para as Santas Casas e entidades filantrópicas que prestem atendimento de forma complementar ao Sistema Único de Saúde (SUS). Uma das linhas de crédito abrange a reestruturação patrimonial; a outra, capital de giro. A aprovação da matéria marcou também o Dia Nacional das Santas Casas. Para ter acesso aos financiamentos, as entidades precisarão apresentar um plano de gestão que devem ser implementado no prazo de dois anos. Os empréstimos terão encargos financeiros máximos de 1,2% ao ano. "Esta é uma grande conquista para o setor, que responde por mais da metade dos atendimentos e 60% das internações pelo SUS. Ainda não resolverá o problema destas entidades, mas proporcionará a renegociação das suas dívidas bancárias e o equilíbrio financeiro”, aponta o presidente da Frente Parlamentar de Apoio às Santas Casas, o deputado federal Antônio Brito (PSD-BA).  

Quarta, 16 de Agosto de 2017 - 09:10

Governo firma novo consórcio de cooperação na saúde com 15 municípios

por Ailma Teixeira

Governo firma novo consórcio de cooperação na saúde com 15 municípios
Foto: Max / Bahia Notícias

Mais um Consórcio Público Interfederativo foi firmado entre o governo do Estado e 15 municípios baianos. Assinado em 12 de julho e publicado no Diário Oficial desta quarta-feira (16), o consórcio visa a cooperação técnica e financeira para a promoção de ações de saúde pública assistenciais, prestação de serviços especializados de média e alta complexidade, em especial serviços de urgência e de emergência hospitalar e extra-conformidade com os princípios e diretrizes do SUS, como é o caso do Plano Diretor de Regionalização (PDR) do Estado. Com polo na região de Ribeira do Pombal, o consórcio vai beneficiar os municípios de Adustina, Antas, Banzaê, Cícero Dantas, Cipó, Coronel João Sá, Fátima, Heliópolis, Nova Soure, Novo Triunfo, Olindina, Paripiranga, Ribeira do Amparo, Ribeira do Pombal e Sítio do Quinto. O prazo para o consórcio entrar em vigência ainda não foi determinado.

Governo realoca recurso da Farmácia Popular para compra de medicamentos básicos
Foto: Reprodução / Pernambuco Notícias

Uma portaria que altera o valor de repasse para a compra de medicamentos que fazem parte do Componente Básico da Assistência Farmacêutica (CBAF) foi publicada pelo Ministério da Saúde nesta terça-feira (15). Com essa mudança, municípios, Estados e o Distrito Federal terão um aumento de 10% no valor total, passando de R$ 5,10 para R$ 5,58 por habitante/ano. De acordo com a pasta, a medida só foi possível com a realocação dos R$ 100 milhões que eram destinados à manutenção da Rede Própria do Farmácia Popular, pois cerca de 80% do montante do programa era para custear serviços administrativos. O Ministério da Saúde aponta que, com esse recurso, eram mantidas 367 unidades próprias, que representam 1% do total de unidades privadas credenciadas no "Aqui Tem Farmácia Popular". Agora, o governo afirma que além das 4.481 cidades participantes, o recurso também estará disponível para outros mil municípios, que não fazem parte do programa. "A medida não ocasionará nenhum prejuízo ao usuário. Pelo contrário, estamos ampliando o acesso e a oferta de medicamentos. Ou seja, não estamos terminando com o Farmácia Popular e sim fortalecendo a rede credenciada", defendeu o ministro Ricardo Barros. O Ministério ressalta ainda que o “Aqui Tem Farmácia Popular” segue com seu funcionamento normal. Por mês, o programa beneficia em média 9,8 milhões de pessoas em todo o país.

Google compra startup que criou aplicativo para detecção de doenças via smartphone
Foto: Reprodução / GeekWire

Voltada para a saúde, a startup Senosis é o novo negócio do Google. A aquisição foi anunciada nesta terça-feira (15) e chegou a derrubar o sistema do aplicativo temporariamente. A Senosis, que foi fundada por cientistas em 2015, em Seattle, usa ferramentas de smartphone para detectar enfermidades, sem a necessidade de recursos adicionais. Segundo informações do El País, o aplicativo é capaz de medir a hemoglobina no sangue através da câmera do celular, detectar icterícia, síndrome que provoca coloração amarela dos tecidos e das secreções orgânicas, em bebês e ainda usa o microfone para ajudar a identificar se o usuário possui asma ou fibrose cística. Embora já utilizada por alguns consultórios, a Senosis ainda não possui a certificação das agências reguladoras. De acordo com a publicação, a expectativa é de que a compra por parte do Google ajude a acelerar esse processo.

Fones de ouvido podem ser contaminados com até 10 mil fungos e bactérias, aponta pesquisa
Foto: Reprodução WikiHow

Acessório comum no cotidiano de muitas pessoas, fones de ouvido de uso diário podem estar contaminados com até 10 mil fungos e bactérias, que, por sua vez, podem causar micoses e graves infecções. A conclusão é fruto de uma pesquisa da faculdade de biomedicina Devry Metrocamp, da cidade de Campinas, em São Paulo. Segundo informações da Veja, o levantamento analisou quarenta fones, sendo 30 do modelo que se encaixa na orelha e 10 headfones, modelo que tem contato com a parte externa da orelha. Em 87% dos casos, foi encontrada alta contaminação, incluindo a bactéria Staphylococcus aureus, que pode levar a infecções de pele e também das vias aéreas superiores, como as otites. De acordo com a publicação, entre os fungos detectados, os do grupo Candida SSP são os mais preocupantes, pois são mais difíceis de tratar e podem afetar alguns órgãos do ouvido, chegando a provocar doenças em usuários com imunidade baixa.

Apae lança livro de receitas para crianças com doença que proíbe ingestão de proteínas
Foto: Divulgação

Cerca de duas mil pessoas no Brasil são diagnosticadas com fenilcetonúria (PKU), doença genética que se caracteriza por defeito da enzima fenilalanina hidroxilase (PAH) e implica em uma dieta restritiva, que proíbe a ingestão de qualquer proteína. Pensando nisso, o Apae Salvador decidiu lançar o livro "Receitas da Vida", que conta com 62 receitas, divididas em sete capítulos específicos sobre aniversário, Natal, Páscoa, São João, almoço de domingo, lanche e comidas para happy hour. "Nossas nutricionistas que estão à frente do tratamento e começamos a perceber que existia a necessidade da gente não só passar a dieta, mas ajudar a melhorar as opções, já que é muito restrita. As crianças não podem comer nada de origem animal e na nossa população, principalmente carente, muitos produtos são assim", explica a médica geneticista Helena Pimentel, diretora técnica da Apae Salvador. Em entrevista ao Bahia Notícias, Helena conta que na Bahia há pouco mais de 100 pessoas diagnosticadas com a doença, que pode ser detectada logo após o nascimento com o teste do pezinho. Quanto antes a família descobre, mais chances de inibir o desenvolvimento da PKU, que pode gerar de distúrbios de comportamento até deficiência mental. Mas a geneticista ressalta que muitas vezes a pessoa chega à fase adulta sem o diagnóstico adequado, o que torna mais difícil o tratamento. "A fenil fica agredindo ali os neurônios, aí o que já está perdido, está perdido. Mas se tira aquela agressão, esse indivíduo dorme melhor. Infelizmente temos casos que foram diagnosticados tardiamente e a gente nem consegue introduzir [a dieta]", lamenta Helena. O livro surgiu principalmente com o apoio das famílias assistidas pelo Apae que, ao lado dos profissionais de saúde da associação e dos próprios pacientes, realizam a Cozinha Experimental Fenil. Criada entre 2011 e 2012, a iniciativa tem o propósito de trocar experiências e estimular a produção de comidas permitidas na dieta da fenilcetonúria. Então, com apoio da BioMarin, a Apae lança o livro em evento que contará com a participação da chef Tereza Paim. O lançamento será nesta quinta (17), às 18h, na sede da Apae Salvador, no bairro da Pituba. Na ocasião, Tereza vai preparar um cardápio com receitas do livro. Ciente de que muitos dos produtos alternativos possuem alto custo, a geneticista pensa ainda em angariar recursos para doar cestas básicas às famílias de pacientes com fenilcetonúria.

Sem menstruar até os 18 anos, jovem descobre que nasceu sem vagina
Foto: Reprodução / UOL

Portadora de uma síndrome rara, uma mulher norte-americana descobriu que nasceu sem vagina. A síndrome, intitulada Mayer-Rokitansky-Kuster-Hauser, é caracterizada por uma má formação do órgão sexual feminino, que pode gerar uma vagina encurtada ou inexistente e a não-formação de um útero. Segundo informações do UOL, Kaylee Moats contou ao Bancroft TV que descobriu o problema com a ausência de menstruação até os 18 anos. Quando procurou um médico a fim de entender o problema, descobriu que não tinha útero, vagina ou abertura vaginal. A demora em descobrir se justifica porque as mulheres possuem vulva, ou seja, a parte externa da genitália é normal, e também sentem prazer através do clitóris. De acordo com a publicação, a descoberta abalou não apenas Kaylee, mas toda sua família. "Estou triste por não poder ter filhos. Isto faz me sentir menos mulher, porque não consigo fazer o que as mulheres estão aptas a fazer", desabafou a jovem no programa. Para solucionar o problema, Kaylee lançou uma campanha de financiamento coletivo. A ideia é bancar a cirurgia de construção de uma abertura vaginal, pois o seguro de saúde se recusou a bancar a operação sob a alegação de que não é um tratamento que salve vidas. Dos US$ 15 mil solicitados, até o momento, a campanha já arrecadou US$ 3,5 mil.

Pesquisa descobre 'fonte de rejuvenescimento' em células-tronco cardíacas
Imagem do filme O Retrato de Dorian Gray | Foto: Reprodução / Dragon Mount Books

Injetadas diretamente no coração de ratos idosos, as células-tronco cardíacas retiradas de corações jovens ajudaram a reverter os sinais de envelhecimento já demonstrados pelos animais. A descoberta é fruto de um estudo publicado nesta segunda-feira (14), no European Heart Journal. Segundo informações do UOL, com algumas injeções, os ratos em questão já apareceram revigorados. Além de melhorar a função cardíaca, as células-tronco aceleraram o crescimento dos pelos dos ratos e o alongamento dos telômeros cromossômicos, que geralmente encolhem com a idade. Eles também apresentaram aumento de resistência. "É extremamente emocionante", definiu Eduardo Marbán, principal pesquisador do estudo e diretor do Instituto do Coração Cedars-Sinai. Para ele, esses efeitos rejuvenescedores sistêmicos são "como uma fonte inesperada de juventude", acrescentou. Márban conta que o instituto tem pesquisado novas formas de terapia celular para o coração há 12 anos. Com sua pesquisa anterior, ele descobriu que as células derivadas da região cardíaca "promovem a cura" do coração após uma condição chamada de "insuficiência cardíaca com fração de ejeção preservada", que afeta mais de 50% de todos os pacientes com insuficiência cardíaca. Como essa doença específica é semelhante ao envelhecimento, Marbán então decidiu experimentar em ratos de 22 meses de idade, já considerados idosos. Outros ratos dessa mesma idade receberam uma injeção de solução salina e os dois grupos foram comparados a ratos jovens, de quatro meses. De acordo com a publicação, os pesquisadores seguem a hipótese de que a injeção funcionou porque as células secretam exosomas, que são pequenas vesículas com "muitos ácidos nucleicos, coisas como ARN, que podem mudar os padrões de como o tecido responde às lesões e à forma como os genes são expressos no tecido". O estudo foi classificado como líder de pesquisas na área pelo Laboratório Central de Regeneração Cardiovascular do Centro Cardiovascular da Universidade de Michigan Frankel. No entanto, o diretor da instituição, Todd Herron, ressaltou que antes de aplicar a técnica em humanos é preciso aprofundar o estudo e realizar testes em outros animais.

Gestantes terão que obter credencial para estacionar em vagas exclusivas
Foto: Agência Brasil

Mulheres gestantes ou com filhos de até 2 anos terão que fazer uma credencial para poder usar vagas especiais em estacionamentos de Salvador. segundo informações do jornal Correio, a Transalvador começa nesta terça-feira (15), quando é celebrado o Dia da Gestante. Conforme a Lei Municipal nº 8.627/2014 e o Decreto Municipal nº 28.337/2017, 2% das vagas de estacionamentos de estabelecimentos comerciais (a exemplo de shoppings, supermercados e lojas de material de construção) devem ser reservadas para gestantes e lactantes – elas pagarão normalmente pela vaga. “O serviço não oferece gratuidade, mas sim a reserva da vaga, como já acontece com idosos e pessoas deficientes”, explica o superintendente de Trânsito, Fabrizzio Müller. A credencial será válida até a criança completar dois anos. O documento precisa estar obrigatoriamente sobre o painel, dentro do veículo, de forma que fique visível às equipes de fiscalização. Quem cometer irregularidades poderá ser notificado e ter o carro removido, além de receber cinco pontos na carteira de habilitação e multa de R$ 293. Para fazer o cadastro, é necessário acessar o site da Transalvador  (clique aqui), preencher e imprimir o Formulário de Solicitação da Credencial, e encaminhá-lo à autarquia pelo Correio ou pessoalmente, junto com a documentação exigida. Caso a mulher opte por entregar a inscrição presencialmente, ela pode fazer o procedimento na sede da Transalvador, nos Barris, ou nas prefeituras-bairro (exceto Barra - Rio Vermelho). O órgão de trânsito exige a apresentação dos seguintes documentos: documento oficial de identificação com fotografia (é preciso constar o número do RG e CPF), cópia autenticada em cartório, em caso de envio pelo Correio; cópia simples acompanhada do original, caso entregue pessoalmente; comprovante de residência dos últimos três meses; atestado médico que cite a idade gestacional da requerente, com carimbo, CRM e assinatura do médico (preferencialmente, emitido pelo serviço médico oficial da União, do Estado ou Município).  

Terça, 15 de Agosto de 2017 - 09:40

Ministro diz que SUS oferecerá 'exame pré-nupcial' a casais com teste genético

por Fabiana Cambricoli e Marco Antônio Carvalho | Estadão Conteúdo

Ministro diz que SUS oferecerá 'exame pré-nupcial' a casais com teste genético
Foto: Renata Farias / Bahia Notícias

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, anunciou nesta segunda-feira (14) que o Sistema Único de Saúde (SUS) vai oferecer um exame "pré-nupcial" aos casais que quiserem saber se há maior risco de gerarem um bebê com alguma doença genética. O teste analisaria ainda outras condições de saúde dos futuros pais, como a presença de problemas crônicos. "Uma das nossas diretrizes novas será o exame pré-nupcial, que vai garantir o exame de compatibilidade genética para noivos, para que eles saibam da possibilidade de terem filhos com doenças raras, que causam muita dificuldade para a família no tratamento e muito custo para o governo", disse ele, em entrevista após apresentação no Summit Saúde Brasil, evento promovido nesta segunda pelo Grupo Estado. Barros disse que não há previsão de quando o exame estará disponível. Também não detalhou se ele será oferecido a todos os casais ou a um público específico. "Nós estamos desenvolvendo esse programa e lançaremos oportunamente. O exame permitirá um diagnóstico de outros fatores, como doenças não transmissíveis, crônicas, muitas das que chamamos invisíveis, como hepatite e HIV, para que a gente possa permitir que esse futuro casal planeje bem a sua vida, com base em um diagnóstico preciso da situação de saúde que ele se encontra." Professora titular de genética da Universidade de São Paulo (USP) e diretora do Centro de Genoma Humano e Células Tronco, Mayana Zatz comemorou a possibilidade de expansão do uso de testes genéticos. O chamado teste genético pré-concepcional de compatibilidade pode custar até R$ 5 mil em laboratórios privados, feito por meio de uma coleta de sangue e com resultado em até 20 dias. "Caso isso ocorra, os geneticistas vão bater palma, pois é algo que estamos batalhando há muito tempo para ocorrer", disse. Ela considera o procedimento como "extremamente importante" e, com o preço elevado, pode ocasionar frustração à população que não tem condições de pagar. Mayana explica que o exame é direcionado para identificação de doenças recessivas, como fibrose cística e algumas doenças neuromusculares, que causam degeneração da musculatura e a perda da capacidade de andar da criança afetada. "Há pais que descobrem que são portadores dos genes apenas quando a criança nasce. Com o teste, essa gravidez poderia ser evitada", disse. Ela exaltou a possibilidade de economia que o método levaria ante gastos com diagnóstico e tratamento futuros. O diretor médico da Alta Diagnósticos, Gustavo Campana, destacou, porém, que o exame não pode ser usado como "triagem populacional". "As novas formas de diagnóstico têm de ter indicações individuais muito claras", disse. Um exemplo de grupo para o qual o exame é geralmente indicado são os casais consanguíneos, como primos. "Neles, a carga genética é mais semelhante do que entre desconhecidos, passando a aumentar o risco de vir a ter um filho com determinada doença", disse. Geneticista do Fleury, Wagner Baratella lembrou que "não existem testes definitivos para afastar todos os eventuais problemas de uma gestação". Destacou ainda a importância de que haja aconselhamento genético e não aplicação indiscriminada do procedimento. O obstetra Alberto Guimarães ponderou que o sistema público, enquanto discute a adoção desses exames, tem de reforçar a estrutura atual das maternidades, por exemplo, "com a garantia de equipes mínimas de plantão". "Podia se fazer valer o que já tem, com a garantia de um pré-natal multiprofissional e todo o suporte da maternidade", destacou. 

 

Cientistas desenvolvem adesivo para remendar coração; curativo dispensa cirurgia
Foto: Divulgação

Pouco menor do que um selo postal, um adesivo promete reparar o tecido cardíaco danificado por um infarto. O curativo para remendar coração foi desenvolvido por um grupo de cientistas da Universidade de Toronto, no Canadá, e, de acordo com eles, poderia ser utilizado em outros órgãos do corpo humano. Após três anos de trabalho, os pesquisadores conseguiram desenvolver o curativo, que tem a capacidade de se desenrolar sem que seja necessária uma nova aplicação ou intervenção cirúrgica. Se eficaz, a invenção representará um avanço significativo para vítimas de acidentes cardíacos porque o adesivo pode ser injetado com o auxílio de apenas uma agulha. Segundo informações d’O Globo, os pesquisadores sustentam que essa é uma alternativa mais segura porque a cirurgia representa mais riscos do que benefícios para pacientes que já estão com a função cardíaca reduzida, como é o caso daqueles que sofreram infarto. "Se um implante requer cirurgia de coração aberto, ele não estará amplamente disponível para os pacientes, explicou a pesquisadora Milica Radisic, uma das cientistas responsáveis pelo desenvolvimento do projeto. "Isso é muito perigoso", acrescentou. O teste foi feito com ratos e porcos depois de injetarem células do coração no curativo e o adesivo se fixar na superfície do órgão. Após o implante nos animais, os pesquisadores perceberam que além de o adesivo se desdobrar na superfície do órgão, as células foram capazes de sobreviver ao procedimento. Outra observação foi de que a função cardíaca dos animais submetidos melhorou significativamente, principalmente pelo bombeamento maior de sangue por parte dos ventrículos que antes funcionavam com capacidade reduzida. "Quando vimos que o tecido cardíaco desenvolvido em laboratório era funcional e não era afetado pelo processo de injeção, foi muito emocionante. As células do coração são extremamente sensíveis. Então, se conseguimos fazer isso com elas, provavelmente poderemos realizar o mesmo procedimento com outros tecidos", ressaltou Miles Montgomery, pesquisador que deu início ao projeto. A equipe, que é especialista em desenvolver tecidos humanos em laboratório, utilizou material biodegradável para a confecção do adesivo. Assim, com o tempo de uso, a bandagem some e apenas o novo tecido fica. De acordo com a publicação, os pesquisadores trabalham agora em um curativo semelhante para o fígado. A ideia é que, no futuro, outras funcionalidades sejam adaptadas ao objeto, como a injeção de medicamentos que estimulem a regeneração de tecidos.

Parceira da Bahiafarma, fábrica sul-coreana para testes rápidos diagnósticos é inaugurada
Foto: Ascom / Sesab

A inauguração da nova fábrica da indústria sul-coreana Genbody Inc., parceira da Bahiafarma na produção de testes rápidos diagnósticos, aconteceu nesta terça-feira (15). O governo brasileiro foi representado pelo secretário de Saúde do Estado (Sesab), Fábio Vilas-Boas, que está em viagem pelo país. Vilas-Boas ressalta que a intenção dessa parceria produtiva é aplicar a tecnologia mais recente, tanto em seus produtos como em sua planta e maquinaria. Para isso, estão sendo investidos R$ 16 milhões em uma linha de produção na sede da Bahiafarma, em Simões Filho, a fim de atender a toda a demanda do Ministério da Saúde. O primeiro fruto da cooperação Genbody-Bahiafarma é o teste rápido para Zika, produzido por um laboratório oficial brasileiro. A parceria evoluiu ainda para testes de dengue, chikungunya, sífilis, febre amarela e outras doenças virais. Diante disso, a perspectiva é firmar a fundação baiana como parceira preferencial do SUS na área de testes diagnósticos.

Surgem 257 mil novos casos de leucemia por ano no mundo, aponta Inca
Foto: Reprodução / Cultura Mix

Por ano, surgem 257 mil novos casos de leucemia no mundo. Desse número, 56% das vítimas são homens, segundo dados do Instituto Nacional do Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca). A pesquisa mostrou que as maiores taxas de incidência encontram-se na América do Norte, Austrália e Nova Zelândia, com o aumento de casos principalmente em idosos. Vice-diretor clínico e coordenador médico do Grupo de Apoio ao Adolescente e à Criança com Câncer (Graacc), Victor Gottardello Zecchin explica que a leucemia é desafiadora justamente porque não é apenas uma doença. "Há vários tipos de leucemia, e cada uma requer um tratamento diferente. Além disso, quanto mais conseguimos identificar características específicas dos blastos (células das leucemias), tendemos a modificar o tratamento, incluindo drogas-alvo, que são mais específicas para acabar com as células leucêmicas e tendem a preservar as demais células. No entanto, estas terapias são, em sua maioria, extremamente caras e não são acessíveis a todos os pacientes", afirmou em entrevista ao jornal A Tarde. Zecchin explica ainda que em muitos dos casos, os sintomas são comuns a outras doenças, com febre, gânglios pelo corpo, sinais de sangramento em gengiva e nariz ou manchas rochas.

Dermato Bahia promove simpósio de hanseníase e palestras sobre câncer de pele
Foto: Reprodução / Biosom

Após 17 anos, o Congresso da Sociedade Brasileira de Dermatologia voltará a ser realizado no Estado. O Dermato Bahia acontece de 7 a 10 de setembro, na Costa do Sauípe. Mas, até lá, a produção do evento realiza um simpósio de Hanseníase e palestras sobre câncer de pele. Voltado para médicos da saúde da família e enfermeiros, o simpósio será nesta quinta-feira (17), na Unijorge. A hanseníase, que é conhecida como a doença mais antiga da humanidade, será abordada pelos médicos Paulo Machado, Heitor de Sá Gonçalves, Eloísa S. Magalhães Bastos, Leila Lemos, Helena Ribeiro e Lilia Improta. Já na sexta (18) serão ministradas as palestras para os colaboradores do Projeto Tamar e para alunos da Escola Estadual Alaor Coutinho, da Escola Municipal São Francisco e da Creche Escola Finn Larsen. Tipo mais frequente no país, o câncer de pele foi contabilizado em 176 mil novos casos só em 2016, segundo dados do Instituto Nacional do Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca).

Testes feitos com pulgas no Arizona apresentam resultado positivo para peste negra
Foto: Reprodução / Ciprag

Responsável pela morte de milhares de pessoas na Idade Média, a peste negra voltou a aparecer. Testes feitos com pulgas no Arizona, nos Estados Unidos, deram positivo para a doença. "O Departamento de Saúde do Condado de Navajo está aconselhando o público a tomar precauções para reduzir o risco de exposição a esta doença grave, que pode estar presente em pulgas, roedores, coelhos e predadores que alimentam esses animais. A doença pode ser transmitida a seres humanos e outros animais pela mordida de uma pulga infectada ou pelo contato direto com um animal infectado", diz matéria da rede americana ABC News. Para a prevenção, o departamento indica que as pessoas não manipulem animais doentes ou mortos, usem antipulgas nos amimais com frequência, usem repelente, evitem tocar em pulgas e roedores e usem luvas de borracha, além de outras proteções, para limpar ou escovar animais selvagens. Alguns dos sintomas da doença são dores de cabeça, febre, calafrios, fraqueza e inchaço dos gânglios linfáticos.

Mulher descobre gravidez na hora do parto; médico diagnosticou como doença
Foto: Corpo de Bombeiros / Divulgação

Sem saber que estava grávida, uma mulher de 34 anos começou a sentir dores e acionou os bombeiros que tiveram que realizar o “parto-surpresa”, na manhã desta segunda-feira (14), em Araguari, cidade de Minas Gerais. Os bombeiros relataram que ao chegar ao bairro São Sebastião, já a encontraram em trabalho de parto. Segundo informações do G1 MG, a avó do bebê, que é um menino ainda sem nome, contou que a filha chegou a procurar atendimento médico nos últimos meses, mas foi diagnosticada com uma doença. Maria Ester Costa disse que a filha já tem dois meninos, de 12 e cinco anos. "Estamos muito assustados, mas felizes por ser uma vida. Agora estou providenciando roupas pra minha filha e para o bebê que estão no hospital. Meu netinho nasceu saudável com dois quilos e 700 gramas e minha filha menstruou durante a gravidez. Além disso, como ela já é gorda, a gente não desconfiou", ressaltou a avó ao portal. Um dos responsáveis pelo parto, o sargento Eci Felício de Paulo disse que foi tudo tranquilo e emocionante. "Já estou há 24 anos na profissão e todo parto tem uma emoção especial. A mãe contou que ela não sabia que estava grávida, que não fez pré-natal e que ontem começou a sentir dores e hoje não suportou e acionou os bombeiros. O menino nasceu saudável e foi levado em uma manta térmica junto com a mãe para a UPA", relatou. Em seguida, os dois foram levados para receber atendimento especializado na Santa Casa de Misericórdia.

Convênios terão impacto de R$ 5,37 bilhões com novas tecnologias, estima FenaSaúde
Foto: Reprodução / Portal Saúde No Ar

Dentre as 26 novas tecnologias estudadas pela Agência Nacional de Saúde (ANS), 16 devem fazer parte dos procedimentos mínimos de cobertura obrigatória dos planos de saúde a partir de 2018. A inclusão, que deve iniciar em 2018, terá um impacto estimado em R$ 5,37 bilhões na despesa assistencial da saúde suplementar, segundo informações de O Globo. Os dados são fruto de um estudo, feito pela Federação Nacional de Saúde Suplementar (FenaSaúde), que apontou a perspectiva de um acréscimo de 4% em relação ao custo do ano passado, quando chegou a R$ 135,5 bilhões. As novas tecnologias incluem um exame que pesquisa toxoplasmose no líquido aminiótico, cujo custo é de R$ 427 por procedimento, e um medicamento oral Criozotine, indicado para o tratamento de câncer de pulmão. Seu custo anual por paciente é de R$ 468 mil. "O estudo foi uma demanda das empresas. O rol é liberado muito em cima do início da vigência e as operadoras precisam preparar a rede, saber quanto custa, qual é a capacidade de atendimento. Levamos em consideração o uso de novas tecnologias por toda a população elegível em 12 meses", explicou Vera Queiroz Sampaio, gerente de Regulação de Saúde da federação, ao jornal.  A presidente da FenaSaúde, Solange Beatriz Palheiros Mendes, criticou que falta informação no processo da ANS e que há outras drogas que ainda precisam ter seus resultados monitorados. Por outro lado, de acordo com a publicação, a professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Ligia Bahia, salientou a importância de se levar em consideração a economia que a incorporação dessas tecnologias trazem para o setor.  "A cura mais rápida, menor uso de terapia intensiva, redução de complicações. O cálculo tem que trazer esses ganhos. Além disso, é preciso levar em consideração que toda tecnologia tem uma curva de custo: começa alta, mas com a disseminação vai caindo", explicou ao jornal. A professora é membro da Comissão de Política, Planejamento e Gestão em Saúde da Associação Brasileira de Saúde Coletiva. Diante das críticas, a ANS informou que o processo está em fase de análise das contribuições enviadas à consulta pública, que se encerrou no último dia 26, e que ainda não há uma definição sobre os procedimentos que serão incorporados.

Segunda, 14 de Agosto de 2017 - 13:00

Em evento, ministro da Saúde promete informatizar UBSs até o fim de 2018

por Paula Felix | Estadão Saúde

Em evento, ministro da Saúde promete informatizar UBSs até o fim de 2018
Foto: José Cruz / Agência Brasil

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, afirmou nesta segunda-feira (14) que todas as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) estarão informatizadas até o final do próximo ano. A declaração foi dada durante a abertura do Summit Saúde Brasil 2017, evento promovido pelo Grupo Estado que reúne alguns dos maiores especialistas no tema. Segundo Barros, todas as UBSs devem passar pelo processo, que inclui a implantação do prontuário eletrônico dos pacientes. As medidas para modernização do SUS incluem ainda mais interatividade com os pacientes que, por meio do aplicativo E-Saúde, vão poder inclusive avisar quando não for possível comparecer a uma consulta. "Hoje, financiamos doença e temos que passar a financiar saúde. Investir em prevenção e promoção será a palavra de ordem. Sabemos que, em 30% das consultas, as pessoas não comparecem. Elas poderão confirmar com o smartphone", explicou Barros. Para informatizar as unidades de saúdes, o ministério deve fazer um contrato com duração de 60 meses, que será pago mensalmente. Em sua apresentação, o ministro revelou ainda o projeto de criação de uma fila única para procedimentos cirúrgicos, cuja posição também poderá ser consultada por smartphones. Pelo segundo ano consecutivo, o Estado realiza em 14 de agosto o evento Summit Saúde Brasil – conferência que tem como principal objetivo destacar e discutir as principais tendências em gestão e tecnologia na área de Saúde e Medicina não só no Brasil, mas no mundo todo. Voltado para gestores e administradores de hospitais, clínicas, laboratórios e planos de saúde, o Summit também vai discutir a importância da profissionalização da gestão, pois abordará temas como redução de custos e sustentabilidade do sistema. A expectativa é de que ao menos 500 gestores de todo o Brasil participem da conferência, em São Paulo. Para debater tendências comportamentais, tecnológicas e de gestão na medicina, palestrantes brasileiros e estrangeiros vão expor suas experiências em painéis e sessões simultâneas durante todo o dia.

 

PV denuncia governo do Estado ao MP por falha no combate ao tráfico de animais
Fotos: Divulgação / PV

O diretório municipal do Partido Verde apresentou denúncia ao Ministério Público da Bahia (MP-BA) contra o governo do Estado e seus órgãos no setor ambiental – como Secretaria do Meio Ambiente (SEMA), Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), Parque Zoobotânico de Salvador e Companhia de Polícia Ambiental (COPPA) da Polícia Militar (PM) – por não cumprirem suas funções em relação ao combate ao tráfico de animais silvestres na Bahia. A denúncia afirma que o descumprimento das atribuições expõe a população da Região Metropolitana de Salvador (RMS) à Febre Amarela e à Raiva, devido à suspensão das atividades do Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas). O PV aponta que, em Salvador, grande parte dos animais resgatados pelo Grupamento Especial de Proteção Ambiental (GEPA) da Guarda Municipal era entregue ao Cetas, situado no bairro do Cabula. Quando o órgão interrompeu o recebimento de animais resgatados, o GEPA deixou de atuar neste sentido. “De acordo com o Grupamento, o resgate e a captura de animais silvestres no município têm crescido a cada ano. Em 2015, ano em que a corporação foi criada pela Prefeitura de Salvador, ocorreram 430 solicitações de resgate, sendo 755 animais resgatados. Em 2016 foram feitos 597 atendimentos com 907 animais resgatados. Neste ano, até junho, já foram 453 atendimentos com mais de 600 animais salvos”, afirma o PV. Entre as espécies resgatadas, estão cobras (sucuris, cascavéis, jiboias, corais, jararacas), gaviões, tartarugas marinhas, pinguins, macacos, jacarés, pássaros diversos, raposas, iguanas, teiús, sariguês, araras, papagaios, porco espinho.

“É um descaso com a política de tráfico de animais silvestres e com a população da Região Metropolitana de Salvador. Além do Estado não assumir as responsabilidades legais no que se refere ao combate do tráfico de animais silvestres, quase 4 milhões de pessoas ainda correm o risco de se contaminarem através do contato direto com animais infectados com o vírus da Febre Amarela ou da Raiva”, afirma o presidente municipal do PV, Ivanilson Gomes, que protocolou a denúncia junto ao Centro de Apoio às Promotorias de Meio Ambiente e Urbanismo do Ministério Público da Bahia (CEAMA), ao Centro de Apoio Operacional de Defesa da Saúde do Ministério Público da Bahia (CESAU) e ao Ministério Público Federal – Procuradoria da República da Bahia (PR-BA). “É inadmissível o governo estadual deixar chegar a esse ponto, de não ter nenhum local adequado onde se possa manter animais resgatados ou capturados sobre observação e acompanhamento clínico. Isso é um risco para a saúde pública”, completou.  

Parceira sul-coreana da Bahiafarma inaugura fábrica de testes rápidos nesta terça
Foto: Ascom / Sesab

A nova fábrica da indústria sul-coreana Genbody Inc. para a produção de testes rápidos diagnósticos será inaugurada nesta terça-feira (15). O evento vai contar com a participação do secretário de Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, que está em viagem pela Coréia do Sul. Diante da parceria firmada com a Fundação Baiana de Pesquisa Científica e Desenvolvimento Tecnológico, Fornecimento e Distribuição de Medicamentos (Bahiafarma), o objetivo da nova fábrica é aplicar a tecnologia mais recente em seus produtos ou em sua planta e maquinaria. A fim de atender toda a demanda do Ministério da Saúde, estão sendo investidos R$ 16 milhões em uma linha de produção na sede da fundação baiana, em Simões Filho. A parceria Genbody-Bahiafarma já resultou no primeiro teste rápido para Zika, produzido por um laboratório oficial brasileiro. A cooperação evoluiu também para incluir testes de dengue, chikungunya, sífilis, febre amarela e outras doenças virais. Com isso, o governo ambiciona transformar a Bahiafarma em parceiro preferencial do SUS na área de testes diagnósticos.

Agência reguladora dos EUA aponta 5 mortes após uso de balão intragástrico desde 2016
Foto: Reprodução / Endogástrico Rio

Responsável por regulamentar alimentos e medicamentos nos Estados Unidos, a agência Food and Drug Administration (FDA) constatou que desde 2016 cinco pessoas morreram no país após usarem balões intragástricos para tratamento de obesidade. O balão funciona como método para perda de peso e controle do apetite de pacientes obesos. Em quatro dos casos, o sistema utilizado era da marca Orbera Intragastric. O outro era ReShape Integrated Dual Balloon. Segundo informações da Veja, a agência também apontou que três das vítimas morreram dias depois de colocarem o balão. As outras duas faleceram cerca de um mês depois por potenciais complicações do tratamento, como perfuração no estômago e no esôfago. Em resposta à rede americana CNN, a empresa responsável pelo sistema Orbera, Apollo Endosurgery, confirmou que foram relatadas mortes nos Estados Unidos, Reino Unido, México e também duas no Brasil, mas de acordo com eles, nenhuma delas tem relação com o produto. Eles ressaltaram ainda que a taxa de incidência continua abaixo de 0,01%. Já a Reshape Medical destacou a importância de se comunicar o problema diretamente aos médicos e garantiu que está em contato com a equipe para melhorar o suporte. Ciente de que mais informações precisam ser apuradas, a FDA diz que ainda não é possível atribuir as mortes aos dispositivos ou procedimentos de inserção. Mas a agência recomendou que os profissionais de saúde monitorem seus pacientes com o intuito de evitar possíveis efeitos colaterais, como pancreatite aguda e inflamações.

Doença rara deixa mulher excitada o tempo todo: 'Achava que era depravada'
Foto: Reprodução / Uol

A inglesa Amanda McLaughlin foi diagnosticada com uma doença rara, chamada desordem de excitação genital persistente, que a deixa excitada 24 horas por dia. De acordo com o Uol, ela descobriu o problema aos 13 anos, mas só entendeu o que era 6 anos depois. A doença - que pode afetar mulheres de qualquer idade - faz Amanda sofrer fortes dores nas pernas e nos músculos pélvicos. Esta condição a faz ficar praticamente incapaz de trabalhar e até de sair de casa. "Quando eu tinha 13, 14 anos, percebi que havia algo de errado comigo. Mas ninguém deu atenção. E eu sempre dizia que queria sexo, queria orgasmo. Dos 15 aos 18, me masturbava muito mais do que uma garota normal da idade", disse. "A minha família achava que ela era uma depravada sexual. Achava que ela era hipocondríaca e que era tudo uma invenção. Hoje em dia me culpo muito por não ter acreditado na palavra dela", lamenta Victoria, a mãe de Amanda. A doutora Priyanka Gupta, da Universidade de Michigan, está tratando do caso, e tenta com 30 diferentes tipos de medicamentos fazê-la diminuir os efeitos.

Melhor horário para sexo é às 7h30 da manhã, aponta pesquisa
Foto: Reprodução / Vírgula

De acordo com o estudo da marca britânica “Forza Supplements”, que ouviu 1.000 pessoas, o melhor horário para  fazer sexo é às 7h30 da manhã, levando em consideração que quase totalidade dos escutados acordavam às 6h45. Segundo os dados, após uma boa noite de sono, ambos os sexos atingem níveis máximos de energia cerca de 45 minutos após o despertar, e as endorfinas liberadas pela atividade sexual diminuem os níveis de estresse. Ainda nos dados, o melhor horário para realizar atividades que exijam atenção é às 9h45, pois o ser humano atinge picos de concentração cerca de 3 horas após o despertar. 

Sábado, 12 de Agosto de 2017 - 11:40

Cerca de 18 milhões de brasileiros têm problema de colesterol alto, aponta pesquisa

por Estadão Conteúdo

Cerca de 18 milhões de brasileiros têm problema de colesterol alto, aponta pesquisa
Foto: Getty Images

A Pesquisa Nacional de Saúde de 2014 identificou 18,4 milhões de brasileiros com colesterol considerado alto (12,5% da população). A prevalência foi maior entre as mulheres: 15,1%, ante 9,7% entre os homens. O controle das taxas pode ser feito em conjunto pelos casais, na rede pública, por meio do programa Pré-Natal do Parceiro. Ao acompanhar a parceira, homens também podem realizar consultas, testes rápidos, exames de rotina, incluindo os de hepatite B e C, HIV, sífilis, diabete, pressão arterial e colesterol, além de ter informações sobre DSTs. Pesquisa recente da Sociedade Brasileira de Cardiologia apontou que 67% das pessoas desconhece a própria taxa de colesterol (veja aqui).

Transmissão de zika por pernilongo pode explicar incidência em Nordeste
Foto: Sumaia Villela / Agência Brasil

A descoberta de que o pernilongo é capaz de transmitir o vírus Zika, feita pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) em Pernambuco (relembre), pode auxiliar na compreensão dos motivos que levaram a epidemia a se agravar em algumas regiões do país ou o motivo pelo qual existem mais bebês com microcefalia em bebês de mulheres de baixa renda. O mosquito Culex se reproduz em água extremamente poluída, comum onde não há saneamento básico. Isso explicaria o agravamento da epidemia em algumas regiões. Mas os pesquisadores ainda precisam estabelecer a conexão e importância do inseto como vetor da doença. Os pesquisadores comprovam que o Zika se reproduz dentro dos mosquitos e chega à glândula salivar dos insetos. Para se compreender o papel do inseto, as características biológicas do Culex deverão ser estudadas. De acordo com informações da pesquisadora da Fiocruz, Constância Ayres, questões como temperatura e umidade também serão levadas em conta. “Precisamos entender qual o papel dele na transmissão, se ele é um vetor secundário, se é primário ou se não tem importância nenhuma. Isso vai depender de outros aspectos biológicos que são característicos dessa espécie, como a longevidade, a abundância em campo, a preferência de se alimentar com o ser humano. A gente precisa investigar isso dentro do contexto urbano onde está a epidemia e comparar essas características com a espécie que é hoje considerada o principal vetor, que é o Aedes aegypti”, afirmou Constância. A maior incidência de casos no Nordeste ou em áreas sem esgotamento sanitário pode ser explicada, caso o vetor seja considerado importante. “De fato, aqui [no Recife] temos condições precárias que permitem a reprodução do vírus de forma muito intensa. A coleta do lixo, esgoto a céu aberto, inúmeros canais no Recife, que favorecem a replicação do mosquito. O Culex representa nossa falta de estrutura de saneamento básico. Isso é evidente em toda a cidade e favorece a distribuição do mosquito”, disse. Mesmo contendo maior quantidade de insetos, o Culex seria mais fácil de controlar do que o Aedes aegypti. “A quantidade de criadouros do Aedes é infinita. Pode ser uma tampinha, um pneu, uma calha, piscina, caixa d'agua, então é impossível mapear todos os ambientes. E ele prefere água limpa. Mas o Culex prefere água extremamente poluída, que são os canais, esgotos, fossa. Você consegue mapear e tratar”, explicou.

Abortos espontâneos podem ser prevenidos com tratamento com vitamina B3
Foto: Reprodução / Pixabay

O aborto espontâneo pode ser prevenido com um tratamento que está sendo desenvolvido que tem como base a vitamina B3, presente naturalmente em carnes e verduras. Um estudo publicado no "New England Journal of Medicine" apontou que o déficit de nicotinamida e adenina (NAD, na sigla em inglês) provoca abortos ou deficiências no bebê, caso a gravidez prospere. "Após 12 anos de investigações, nossa equipe descobriu que este déficit pode ser tratado e os abortos espontâneos e as deficiências podem ser evitados tomando uma simples vitamina", disse Sally Dunwoodie, pesquisadora no Instituto de Pesquisa Cardíaca Victor Chang, em entrevista à AFP. De acordo com a cientista, a descoberta tem potencial para reduzir tanto o número de abortos espontâneos que ocorrem, como os defeitos de nascença relacionados ao caso. Cerca de um quarto das mulheres sofre um aborto involuntário ao longo da vida. Para realizar o estudo, pesquisadores analisaram genomas de famílias que tiveram histórico de múltiplos abortos espontâneos e descobriram que eles compartilham uma mutação genética que afeta a produção da molécula NAD. Para realizar testes, camundongos foram geneticamente modificados para apresentarem esta deficiência. Os camundongos receberam o tratamento com cápsulas de vitamina B3. “Antes da introdução da vitamina B3 na alimentação das fêmeas grávidas, os embriões se perdiam durante um aborto natural ou os que nasciam sofriam de graves deficiências. Uma vez mudada a alimentação, os abortos involuntários e as incapacidades de nascença foram evitadas por completo”, disse o Instituto em um comunicado. Para além dessa pesquisa, os cientistas agora querem criar um teste que identifique mulheres com risco de deficiência da molécula NAD, para que a prescrição da vitamina B3 seja realizada ainda durante o período gestacional.

'SUS não é para pessoas trans': Grupo pede que identidade não seja classificada como doença
Foto: Divulgação

Com a busca por visibilidade, torna-se cada vez mais frequente a discussão sobre os preconceitos e violências sofridos pelas populações transexual e travesti. Ainda assim, pouco se fala sobre as dificuldades que essa parcela da sociedade enfrenta para acesso ao sistema de saúde, seja por demandas específicas ou de cuidados gerais. Para Viviane Vergueiro, ativista transfeminista e pesquisadora do grupo de pesquisa em Cultura e Sexualidade (CUS) da Universidade Federal da Bahia (Ufba), uma das principais questões que compõem esse debate é a necessidade de despatologização das identidades de gênero. Uma das reivindicações é a alteração do Código Internacional de Doenças (CID), que classifica a identidade trans como uma patologia. "A despatologização tem a ver com o acesso das pessoas trans e travestis ao direito humano da saúde integral. As pessoas trans tiveram, historicamente, o acesso à saúde negado", explicou Viviane em entrevista ao Bahia Notícias. "Os ativistas pela despatologização tentam argumentar e lutar para dar visibilidade de como esse modelo e essa classificação implicam em práticas e em uma forma institucional de se ver essas pessoas. Isso muitas vezes impede que elas cuidem de sua saúde de forma integral", acrescentou. A pesquisadora pontuou a necessidade de se pensar a saúde de pessoas trans para além de manuais, desde o diagnóstico até o acesso à saúde básica e relação com os profissionais. 

 


Evento discutiu despatologização trans e travesti | Foto: Ted Ferreira e Banzi Filmes

 

Em evento realizado pelo coletivo Coletivo De Transs Pra Frente sobre o tema, foi relatada uma necessidade de se adequar a padrões esperados pelos profissionais de saúde para se obter maior respeito à própria identidade. "As mulheres trans, por exemplo, precisam ser muito femininas ou podem ter suas identidades questionadas enquanto mulher", exemplificou Viviane. Outra barreira apontada foi a visão de que as transexualidades e travestilidades representam essas pessoas e que as demandas são sempre as mesmas. "Eu costumo dizer sempre que as transexualidades ou travestilidades não representam a nossa vida, elas são uma nuance de nossas vidas", afirmou Carlos Porcino, transativista, psicóloga voluntária na Associação de Travestis e Transexuais de Salvador (Atras) e doutoranda pela Ufba. "As demandas são singulares. Nós, pessoas trans, não somos um padrão. Cada uma de nós tem motivações no que diz respeito à subjetividade e ao que deseja implementar com relação a modificações corporais ou não", completou. As dificuldades começam quando a pessoa não é reconhecida pela identidade à qual se identifica, mas pelo seu documento. Há, por exemplo, exames que oferecidos para gêneros específicos no Sistema Único de Saúde (SUS). "A gente costuma dizer que o SUS não foi feito para pessoas trans, mas para pessoas cisgênero. Recentemente, uma menina trans que não tem o nome retificado, mas fez cirurgia de redesignação sexual. Ela buscou uma unidade de saúde da família para buscar um ginecologista, mas não foi possível. Apesar de ter a neovagina, ela ainda tem o cartão do SUS com nome civil", contou Carlos. Até mesmo o diagnóstico pode ser questionado nesse âmbito, já que é esperado um comportamento ou sinais padronizados. "Há uma ideia de que todas nós desejamos as mesmas coisas dos nossos corpos, o que não é verdade. É verdade que a transfobia afeta e violenta a relação com nosso corpo, mas isso não nos define. O diagnóstico patológico meio que circunscreve aquelas pessoas que têm um ódio ao próprio corpo, que têm uma narrativa de identificação com o dito 'gênero oposto' desde a infância", disse Viviane, ao ressaltar que a patologização da identidade trans interferem diretamente na atenção à saúde dessa população.

Vacina brasileira contra zika deverá ser testada em humanos em 2018
Foto Manu Dias / AGECOM

A vacina contra zika que está em fase de testes no Instituto Evandro Chagas, no Pará, deverá ser testada em humanos em 2018, após ter apresentado resultados promissores em camundongos e primatas. O anúncio foi realizado durante a XIX Jornada Nacional de Imunizações, evento que ocorreu em São Paulo nesta sexta-feira (11). O estudo está sendo desenvolvido em parceria com a Universidade do Texas e com apoio da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde no Brasil. “As iniciativas com a vacina de zika estão andando mais rápido porque não foram identificados outros sorotipos do vírus, como é na dengue. Com isso, a complexidade é menor”, afirmou Consuelo Oliveira, pesquisadora clínica do Instituto Evandro Chagas. No estudo em camundongos, foram 46 cobaias testadas. Os camundongos que receberam o imunizante, metade do total, apresentaram anticorpos contra o vírus zika. Após o acasalamento das fêmeas, o vírus da zika não chegou até a placenta. “O que foi interessante é que, nas cobaias não vacinadas, vimos que o vírus fez o mesmo percurso observado em humanos. A placenta com déficit de nutrição, os bebês nascendo pequenos, as malformações...”, explica Consuelo. No mundo são cerca de 41 iniciativas que buscam produzir uma vacina contra a zika. No Brasil, o Instituto Butantan faz análises de uma vacina que seria utilizada contra todos os sorotipos da dengue e contra o vírus zika. 

Mutirão de Cirurgias atende população de 15 municípios na região de Barreiras
Foto: Divulgação

O Mutirão de Cirurgias da Secretaria da Saúde da Bahia (Sesab) retorna nos próximos dias 19 e 20 à região de Barreiras. A unidade móvel ficará estacionada no Parque de Exposições Engenheiro Geraldo Rocha, na Rua Boa Vista, com atendimentos a partir das 7h. Durante a ação, serão realizados procedimentos cirúrgicos de hérnias (umbilical, inguinal, epigástrica), histerectomia e colecistectomia. Além de Barreiras, serão atendidos os pacientes de Angical, Baianópolis, Brejolândia, Catolândia, Cotegipe, Cristópolis, Formosa do Rio Preto, Luis Eduardo Magalhães, Mansidão, Riachão das Neves, Santa Rita de Cássia, São Desidério, Tabocas do Brejo Velho e Wanderlei. Para ser atendido, o paciente já deve ter a indicação médica para a cirurgia e ter feito o cadastro na Secretaria de Saúde do município de residência. Caso ele não tenha feito o cadastro prévio, mas tenha exames laboratoriais que comprovem a necessidade de realizar uma das cirurgias oferecidas, o paciente poderá se dirigir ao local das consultas pré-operatórias munido dos documentos exigidos.

Em evento nacional, lideranças femininas discutem estratégias para combate ao câncer
Foto: Rovena Rosa / Agência Brasil

Lideranças femininas discutiram nesta quinta-feira (10) questões políticas, sociais e econômicas relacionadas ao câncer na mulher durante a 1ª Conferência Nacional de Prefeitas e Governadoras e a 7ª Conferência Nacional de Primeiras-Damas, organizadas pela Federação Nacional de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama (Femama). Na abertura do evento, a presidente voluntária da Femama e médica mastologista, Maira Caleffi, reforçou a importância do empoderamento da mulher e da paciente, citando a importância de dar informações ao portador da doença e envolvê-lo nas conquistas da causa. "Essas ações devem estar também dentro dos hospitais, para que todos envolvidos no atendimento desses pacientes saibam da luta pelos direitos ao diagnóstico e tratamento dignos e efetivos", disse. Segundo a Agência Brasil, as razões do fenômeno da invisibilidade das mulheres, evidenciado pelo pouco índice de estudos que buscam aprimorar a assistência em saúde da população feminina, foi assunto da palestra de Erika Zoeller, assessora da ONU Mulheres. "É um problema cultural em todo o mundo, cujo foco sempre foi o homem. Como resultado, cresce o número de mulheres que morrem em decorrência de doenças cardiovasculares, tidas como majoritariamente masculinas", pontuou. Erika ressaltou que investir na saúde da mulher é fator primordial para o crescimento social, político e econômico. Durante o evento, ela apresentou a Agenda 2030 da ONU para desenvolvimento sustentável, com um guia para implantação de políticas públicas para alcançar a igualdade de gênero. "Um dos itens desse documento é assegurar vida saudável a todos e todas, com redução de mortalidade materna, serviços de saúde sexual e reprodutiva e combate ao abuso de substâncias", pontuou. No encontro, estiveram presentes cerca de 100 pessoas, entre prefeitas, governadoras, primeiras-damas, vereadoras, deputadas, secretárias da saúde, vices e representantes de organizações não- governamentais associadas à Femama.

Histórico de Conteúdo