Brasil e Colômbia realizam ação conjunta para combate ao Aedes aegypti
Foto: Venilton Kuchler/ ANPr
Parte da chamada fronteira seca entre Brasil e Colômbia, dois municípios decidiram se unir para combater o mosquito Aedes aegypti. Tabatinga, no Amazonas, e Letícia, no lado colombiano, vão contar com uma Sala Binacional de Coordenação e Controle ao Aedes. Como há livre circulação entre os moradores das duas cidades, a ideia da ação conjunta é possibilitar a troca de informações epidemiológicas e a construção de estratégias de enfrentamento ao mosquito. "Hoje as ações não são integradas. Elas são feitas realmente à medida que há disponibilidade não só de recursos humanos, mas de insumos de um lado e de outro. A perspectiva é que a gente possa fazer ações únicas e realmente definidas e integradas, dentro de um processo de parceria a nível local", explicou o presidente da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM), Bernardino Albuquerque, à Agência Brasil. De acordo com informações do Ministério da Saúde, a Sala Binacional localizada em Tabatinga terá o apoio das salas Nacional e Estadual de Coordenação e Controle ao Aedes. O espaço foi cedido pela Secretaria de Saúde do município. Já a Fundação de Vigilância de Saúde doou equipamentos como computadores, freezer e geladeira. Os encontros entre os representantes dos dois países vão acontecer sempre na última sexta-feira de cada mês. "Não adianta nós fazermos aqui no Brasil a visita de casa em casa, se a Colômbia não tem a oportunidade de fazer o mesmo, ou vice-versa. Para o mosquito não há fronteira", ressaltou Albuquerque. O presidente da FVS-AM informou ainda que há a possibilidade de integração também com cidades peruanas que fazem fronteira com o Amazonas.
Vale do Jiquiriçá, Base Naval e Igreja Adventista recebem unidade móvel da Hemoba
Foto: Divulgação
As unidades móveis da Fundação de Hematologia e Hemoterapia da Bahia (Hemoba) atenderá a população da capital e interior baiano a partir desta quarta-feira (1º). O Vale do Jiquiriçá recebe o Hemóvel, que ficará estacionado em frente à policlínica, nesta quarta. Já na quinta, o ônibus chega ao município de Matuípe e fica estacionado em frente à Câmara de Vereadores. Na sexta, a unidade móvel atenderá em frente à Secretaria de Saúde de Laje. Em todos os municípios, o atendimento acontece das 8h às 16h. O Hemóvel 2, por sua vez, permanece nos dias 1º e 2 de junho na Base Naval de Aratu, em São Tomé de Paripe. Já no sábado (4), o Hemóvel estaciona em frente a Igreja Adventista na Pituba, com atendimento das 8h às 17h. Para doar sangue, os candidatos devem portar documento original com foto, pesar acima de 50 kg, ter entre 16 e 69 anos de idade, além de estar bem descansado e alimentado.
Anvisa aprova genérico inédito para tratamento de câncer
Foto: Shutterstock
A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou, em publicação no Diário Oficial da União desta segunda-feira (30), o registro de um medicamento genérico inédito indicado para tratamento de câncer. De acordo com a bula, o Temozolomida é indicado no tratamento de pacientes com tumor cerebral chamado glioblastoma multiforme, recém-diagnosticado, em tratamento combinado com radioterapia, seguido de tratamento com temozolamida isoladamente (monoterapia). Também é indicado para glioma maligno, tal como glioblastoma multiforme ou astrocitoma anaplásico, que apresenta recidiva (que acontece de forma recorrente ou repetitiva) ou progressão após tratamento padrão, após terapia padrão. É indicado, ainda, no tratamento de pacientes com melanoma maligno metastático em estágio avançado. O medicamento é fabricado pela empresa Produtos Farmacêuticos S/A.
Pesquisa aponta que Zika pode causar distúrbio no fundo do olho das crianças
Foto: Getty Images
Um estudo feito com 40 crianças nascidas em Pernambuco, cujas mães foram infectadas pelo zika, comprovou que há relação entre a infecção pelo vírus e distúrbios graves nos olhos do bebê. Coordenada pelos médicos Rubens Belfort Júnior e Maurício Maia, com a participação de cientistas da Fundação Altino Ventura, de Recife, a pesquisa mostrou que das 40 crianças analisadas e que tinham microcefalia, quase metade (46% do total) apresentou distúrbio ou lesão no fundo do olho. Desse total, 68% apresentavam distúrbio nos dois olhos. De acordo com o oftalmologista Maurício Maia, professor do Departamento de Oftalmologia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), quanto maior o quadro de microcefalia, maior a probabilidade de a criança desenvolver um problema no fundo do olho. "Quanto mais precoce é a infecção [pelo vírus Zika] da mãe, no primeiro trimestre principalmente, e quanto mais microcefálico é o bebê, ou seja, menor é a cabeça, maiores são as chances dessas crianças de ter o fundo do olho também com a doença", disse à Agência Brasil. "É preocupante quando a mãe adquire a infecção em qualquer nível da gestação, mas é muito mais preocupante quando ela ocorre no primeiro trimestre". Maia afirmou ainda que o estudo mostra a necessidade de que os bebês de mães que contraíram o vírus Zika durante a gravidez sejam acompanhados por um oftalmologista precocemente. Caso não sejam estimuladas, essas crianças poderão ter a visão muito mais comprometida, podendo até ficar cegas no futuro. "Se não forem estimuladas precocemente, nos primeiros meses de nascimento, elas vão desenvolver uma visão pior que pode levar à cegueira, em alguns casos". A próxima etapa da pesquisa pretende investigar também a possibilidade de que crianças com mães que tiveram Zika na gravidez desenvolvam problemas oculares, independentemente da microcefalia.
Bahia alcança 84% de cobertura vacinal na campanha de combate ao vírus H1N1
Foto: Reprodução / Sesab
Mesmo sem a análise dos números individuais de vacinação por município, já é seguro afirmar que o Estado da Bahia alcançou 84% de cobertura vacinal na última campanha de combate ao vírus H1N1. “A cobertura vacinal da Bahia, como um todo, hoje é de 84%. Ou seja, nós já passamos a meta [proposta pelo Ministério da Saúde], inclusive acima dos anos anteriores”, afirma Ramon Saavedra, coordenador do Programa Estadual de Imunização. Em entrevista ao Bahia notícias, Saavedra fez um balanço da campanha de imunização que chegou ao fim no último dia 20 de maio, destacando os desafios do processo e analisando os dados já registrados no Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações. Clique aqui e leia a entrevista completa!
Terça, 31 de Maio de 2016 - 10:50

Teste rápido da zika ainda não tem custo definido e dependerá da 'quantidade'

por Renata Farias / Luana Ribeiro

Teste rápido da zika ainda não tem custo definido e dependerá da 'quantidade'
Foto: Renata Farias / Bahia Notícias
O custo do teste rápido para zika vírus ainda não teve custo definido pela Bahiafarma. De acordo com o diretor-geral da empresa pública, Ronaldo Dias, o custo será fixado pelo Ministério da Saúde. “Na verdade o custo desse produto está muito relacionado à quantidade que vai ser utilizada. Nós não sabemos, e aí como o secretário Fábio falou, o uso desse produto é totalmente novo. Não se existia uma ferramenta epidemiológica para inquéritos até ontem. Então a utilização dele pode variar de 100 reações a milhões de reações. É difícil mensurar custos nesse momento. Nós estamos trabalhando para que ele tenha o menor custo possível, para ampliar ao máximo o acesso da população nesse momento”, explica. O processo de desenvolvimento da técnica durou cerca de dez meses entre a assinatura do acordo com a empresa sul–coreana Genbody Inc., que transferiu a tecnologia, e a aprovação do registro pela Anvisa. “O processo se iniciou em agosto do ano passado, com a assinatura do protocolo, porém o desenvolvimento do produto se desenvolveu de setembro até janeiro, e nós começamos a fazer escalonamento dos lotes piloto, para registro do produto, o dossiê foi submetido à Anvisa em fevereiro, e tivemos o registro ontem contemplado”, detalhou Dias. 
Terça, 31 de Maio de 2016 - 10:22

Primeiro lote de teste rápido do zika deve ser entregue ao SUS em até 30 dias

por Renata Farias / Luana Ribeiro

Primeiro lote de teste rápido do zika deve ser entregue ao SUS em até 30 dias
Foto: Elói Correia/ GOVBA
O teste rápido do zika vírus desenvolvido pela Bahiafarma, lançado na manhã desta terça-feira (31), deve começar a ter seu primeiro lote distribuído em até 30 dias. A previsão é do secretário estadual de Saúde, Fábio Vilas Boas. “O ministério da Saúde deve anunciar seu protocolo para a utilização de testes rápidos, de acordo com a política nacional de saúde. Esse sistema será oferecido ao Sistema Único de Saúde em todo o país, em todos os estados, e a partir de então distribuído aos postos de saúde, às UPAs, aos hospitais e aos laboratórios de referência”, explicou. A entrega deve ser feita a partir da ordem de compra a ser emitida pelo ministério. Para Vilas Boas, além da celeridade na detecção e no alcance do novo método, que pode chegar a qualquer posto de saúde, em locais remotos, o teste afastará o diagnóstico presumitivo. “Ou seja, você acha que a pessoa teve a zika, mas pode ser outra doença, uma outra virose. E a partir de agora, principalmente para mulheres em idade gestacional, ter a informação de que ela teve ou ainda não teve a infecção pelo zika - e extremamente relevante para a decisão dela de iniciar uma gestação”, aponta. 
Terça, 31 de Maio de 2016 - 10:00

'Um marco para as pesquisas do zika', diz subsecretário sobre teste rápido da doença

por Renata Farias / Luana Ribeiro

'Um marco para as pesquisas do zika', diz subsecretário sobre teste rápido da doença
Foto: Carol Garcia / GOVBA
O desenvolvimento do primeiro teste rápido nacional, lançado nesta terça-feira (31) pela Bahiafarma, “pode ser o início de uma cadeia promissora que a Bahia pode ter no combate a infecções”, de acordo com o diretor-geral da empresa pública, Ronaldo Dias. O teste, feito após parceria com a empresa sul-coreana Genbody Inc., prescinde da identificação do vírus e se baseia no exame sorológico (do soro sanguíneo). A tecnologia permite identificar anticorpos referentes à fase aguda da doença e a infecções antigas. “Toda a pesquisa fica impedida quando você não tem uma ferramenta capaz de dizer rapidamente se a pessoa tem o vírus ou não. Um teste rápido como esse é o que se busca para todas as doenças hoje, não só para o zika. E um instrumento de triagem, porque vai ser o primeiro passo do médico para saber se o paciente tem o zika ou não. Vai ser um marco para as pesquisas do zika”, aposta o infectologista Roberto Badaró, subsecretário da Saúde. 
Terça, 31 de Maio de 2016 - 09:45

Bahiafarma: Teste rápido permite identificar fase aguda e infecção antiga do zika

por Renata Farias / Luana Ribeiro

Bahiafarma: Teste rápido permite identificar fase aguda e infecção antiga do zika
Foto: Renata Farias / Bahia Notícias
A Bahiafarma apresenta na manhã desta terça-feira (31) o primeiro teste sorológico rápido nacional para detecção do zika vírus. O registro da Anvisa para a produção e comercialização do teste foi obtido na segunda (30). Antes da técnica, o diagnóstico da zika era feito por meio do exame laboratorial PCR, que verifica a presença do vírus, técnica mais demorada (podendo durar semanas, enquanto o novo método dura 20 minutos) e com custo de dez a quinze vezes mais elevado que o teste rápido. “Na linha de testes e diagnósticos fomos buscar no mundo quem tinha a melhor tecnologia de testes para diagnóstico. Encontramos do outro lado do mundo, na Coreia, essa tecnologia. Apesar de ser um país pequeno, eles investem muito em tecnologia”, afirmou o secretário estadual de Saúde, Fábio Vilas Boas, em menção a empresa coreana Genbody Inc., com a qual a Bahiafarma firmou um acordo de transferência de tecnologia. Segundo o titular da Sesab, testes já indicavam em outubro e novembro de 2015, resultados positivos no isolamento da proteína – o diagnóstico é sorológico (analisa o soro sanguíneo) e permite a indicação dos anticorpos IgM (imunoglobina M, visto na fase aguda da doença) e IgG (imunoglobina G, que aponta se houve uma infecção mais antiga pelo vírus). “A obtenção desse registro (da Anvisa) significa que o produto funciona e está de acordo com todas as normas nacionais. Eles são extremamente rigorosos”, destacou Vilas Boas.
Feira de Santana: Defensoria ajuíza ação para garantir passe livre a pessoas com HIV
Foto: Jorge Magalhães/ Prefeitura de Feira de Santana
A Defensoria Pública da Bahia (DP-BA) ajuizou ações civis públicas contra o Município de Feira de Santana para garantir o direito ao passe livre para pessoas com transtornos mentais e portadores de HIV na cidade. A sede da instituição na cidade foi procurada por diversas pessoas para informar que a Secretaria de Transporte e Trânsito negou pedidos de confecção ou renovação do benefício que dá acesso gratuito ao sistema de transporte coletivo. A Defensoria também vai ajuizar ações para garantir passe livre a pessoas que fazem tratamento oncológico, pessoas com anemia falciforme ou aquelas que possuem limitações à locomoção e/ou fazem tratamento ortopédico. Os passes livres não renovados vencem no dia 30 de junho deste ano. A ação pede, em caráter liminar, a renovação imediata do benefício. A Defensoria informa que elas necessitam do passe livre para melhorar as condições de autonomia e mobilidade, inclusive, para se dirigirem a Centros Apoio Psicossocial (Caps) para acompanhamento ou no deslocamento para buscar medicamentos e para consultas em hospitais ou outros órgãos de saúde. Cidadãos que também tiveram seus direitos violados podem procurar a Defensoria Pública na Rua Germiniano Costa, nº 212, Centro, munidos de documento de identificação, comprovante de residência e relatório médico que aponte as limitações que justifiquem a necessidade do passe livre, como locais e frequências de atendimento médico. A ação ainda afirma que a não renovação do passe livre tem ocorrido sem qualquer “alteração no quadro físico e de saúde da pessoa beneficiada, ou seja, mantendo-se a mesma situação que havia justificado a concessão de passe livre inicial (com base em padrões jurídicos e éticos razoáveis), o que representa evidente violação aos direitos adquiridos dos assistidos”.
Terça, 31 de Maio de 2016 - 08:10

Brasileiras devem considerar adiamento de gravidez, recomenda OMS

por Jamil Chade, correspondente | Estadão Conteúdo

Brasileiras devem considerar adiamento de gravidez, recomenda OMS
Foto: Getty Images
A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomendou que casais que vivem em locais com o surto do vírus zika adiem ou pelo menos considerem adiar uma gravidez. Para os estrangeiros ou mesmo pessoais locais que apresentaram algum sintoma, a sugestão publicada nesta terça-feira, 31, pela entidade é de que esperem pelo menos seis meses para iniciar uma gravidez. Já para estrangeiros que visitam locais com surtos e que não têm sintomas, a recomendação pede pelo menos 2 meses de espera até que uma gravidez seja iniciada. A sugestão está sendo publicada depois que novos estudos realizados pela entidade e cientistas apontarem que o vírus tem um período maior de permanência no sêmen, além do que se previa. "Nossa sugestão é de que pessoas em locais com surto adiem ou considerem adiar uma gravidez", disse Christian Lindmeier, porta-voz da OMS. Para ele, mulheres nesses países devem ter acesso a informação e medidas de prevenção, como preservativos. Em casos de estrangeiros que visitam o Brasil e tenham sintomas como febre e conjuntivite, a sugestão é de que a espera seja de seis meses. "Isso é uma forma de garantir que o vírus deixe o corpo", apontou Lindmeier. Segundo ele, a sugestão anterior da OMS era de uma espera de apenas três meses. "Decidimos rever nossas recomendações, diante das novas informações que temos sobre o vírus" disse. Outra mudança se refere também a casais que tenham estado no Brasil, mesmo sem dar sinais de sintomas. "Essas pessoas devem esperar oito semanas ao voltar de locais afetados", indicou. Antes, a recomendação falava em quatro semanas.
OMS propõe embalagens padronizadas de cigarro, apenas com marca e advertências
Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas
A Organização Mundial da Saúde (OMS) defendeu nesta terça-feira (31), quando é lembrado o Dia Mundial sem Tabaco, a adoção por países-membros de embalagens padronizadas de cigarro e correlatos. A ideia é que todas as embalagens desse tipo de produto passem a ser iguais, seguindo um padrão definido e que determine forma, tamanho, modo de abertura, cor e fonte, mantendo-se apenas o nome da marca. Segundo a Agência Brasil, a proposta é que as embalagens não contenham logotipos, cores e imagens específicas, design característico ou textos promocionais, mas apenas advertências sanitárias que tratam dos malefícios provocados pelo tabagismo – atualmente exigidas no Brasil pelo Ministério da Saúde – e o selo da Receita Federal. Em nota, o Instituto Nacional do Câncer (Inca) definiu as embalagens de cigarro como um grande instrumento de publicidade utilizado pela indústria, que investe em seu aprimoramento visual, formato e localização estratégica em pontos de venda. "Lançadas em edições limitadas, com brindes, em diferentes formatos, as embalagens de produtos de tabaco estão cada vez mais sedutoras", destacou o órgão. Dados da OMS revelam que o tabagismo é a principal causa de morte evitável no mundo, respondendo por 63% dos óbitos relacionados a doenças crônicas não transmissíveis, 85% das mortes por doença pulmonar crônica, 30% das mortes por diversos tipos de câncer (pulmão, boca, laringe, faringe, esôfago e outros), 25% das óbitos por doença coronariana e 25% das mortes por doenças cerebrovasculares. A previsão do órgão é que, se nada for feito, o mundo passe a registrar mais de 8 milhões de mortes por ano a partir de 2030, sendo que mais de 80% delas devem atingir pessoas que vivem em países de baixa e média renda.
Ilhéus: Sesau realiza mutirão para aplicação de Botox na próxima sexta-feira
Foto: Reprodução / O Tabuleiro
A Secretaria de Saúde de Ilhéus (Sesau), em parceria com a Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab), realizará um mutirão com pacientes neurológicos para aplicação de toxina botulínica na próxima sexta-feira (3). O mutirão, que acontecerá das 8 às 12 horas, no Núcleo de Assistência Especializada (Nae) da Secretaria de Saúde, tem como objetivo prestar atendimento a pacientes com problemas neurológicos. A substância, conhecida popularmente como Botox, é usada no tratamento das distonias, contraturas dolorosas de determinados grupos musculares, assim como da espasticidade, que ocorre com frequência após acidentes vasculares cerebrais, traumatismos raquimedulares e casos de paralisia cerebral. Para participar da ação, que envolve profissionais do Hospital das Clínicas da Universidade Federal da Bahia (Ufba), os interessados precisarão realizar um pré-cadastro no Nae, usando cartão SUS, documento de identificação com foto e comprovante de residência, antes da data do evento.
Mulher dá à luz trigêmeos geneticamente idênticos no Reino Unido
Foto: Reprodução / Daily Mail
Becki-Jo Allen, de Liberpool, Reino, deu à luz trigêmeos idênticos não apenas na aparência, mas também na genética. O caso é extremamente raro: a probabilidade de gêmeos serem idênticos geneticamente é de 200 milhões para um. De acordo com as informações do Daily Mail, os médicos da maternidade que os bebês nasceram informaram à mãe que Roman, Rocco e Rohan não eram gêmeos idênticos. Ao receber visitas, Becki alega que as pessoas não conseguiam diferenciar as crianças. Então, a jovem de 23 anos procurou o "Multiple Births Foundation" (Fundação de Múltiplos Nascimentos)  para saber se os trigêmeos eram, de fato, iguais. Ela fez um exame de DNA e descobriu que o trio não era somente idêntico na aparência, mas também geneticamente. A mãe, entretanto afirmou que não sente dificuldades em identifica-los. "Quando eles eram recém-nascidos era muito difícil saber quem era quem, mas eu nunca os confundi. Todos eles têm marcas de nascença escuras entre as sobrancelhas, mas a de Roman é um pouco mais escura do que a dos outros. Já a de Rohan é mais clara", disse a jovem.
Justiça obriga Sesab e HGRS a devolver equipamentos para empresa de alimentos
Foto: Divulgação
A desembargadora Ilona Márcia Reis concedeu liminar nesta segunda-feira (30) que determina um prazo de 10 dias para que a Secretaria da Saúde da Bahia (Sesab) devolva os equipamentos, bens e utensílios da empresa M. de S. Harb, responsável pelo fornecimento de refeições no Hospital Geral Roberto Santos (HGRS). De acordo com o documento, o contrato celebrado em 2011 expirou no último 22 de março. No entanto, após nova licitação, a empresa foi impedida de retirar os equipamentos, móveis e utensílios do hospital. A vencedora do certame, Chalé Refeições LTDA, declinou, sendo necessário o chamamento da Sabore e Cia Comércio e Serviços de Alimentos LTDA, que aceitou executar os serviços pelo preço ofertado pelo primeiro colocado.
Proteína responsável pelo Alzheimer também protege o cérebro, aponta estudo
Foto: Shutterstock
Uma pesquisa desenvolvida por pesquisadores da Universidade Harvard, nos EUA, sugeriu que um mecanismo de defesa próprio do cérebro pode ser uma das causas do mal de Alzheimer. Os cientistas explicaram que ainda são necessários estudos em humanos, mas que a descoberta, caso comprovada, pode levar ao desenvolvimento de novos tratamentos e formas de prevenção da doença. "Por que a beta-amiloide se acumula nas pessoas com o envelhecimento? Ela tem alguma função no cérebro ou é apenas lixo que se acumula?", questionou Rudolph Tanzi, pesquisador da Escola de Medicina de Harvard, coautor do estudo. Liderada por Robert Moir, do Hospital Geral de Massachusetts, em Boston, a equipe descobriu que há uma sequência de aminoácidos da beta-amiloide humana em cerca de 70% dos vertebrados. "É uma proteína muito antiga desempenhando uma função muito importante", disse Moir. Segundo o jornal O Globo, o estudo aponta que a aglutinação de beta-amiloide, que causa o Alzheimer, é algo crucial na defesa do organismo. Quando vírus, fungos ou bactérias conseguem ultrapassar uma membrana protetora do sistema nervoso central chamada barreira hematoencefálica, o sistema imunológico forma "armadilhas" com a beta-amiloide. "Da noite para o dia, as bactérias levaram à formação de placas", afirmou Tanzi. "O hipocampo ficou repleto de placas, e cada uma tinha uma bactéria no centro". Estudo futuros tentarão localizar restos de micróbios nas placas.
Webpalestra aborda 'Vinculação ao parto desde o pré-natal na Atenção Básica'
Foto: Divulgação
A Secretaria da Saúde da Bahia (Sesab) promove nesta terça-feira (31) uma webpalestra com tema "Vinculação ao parto desde o pré-natal na Atenção Básica". A partir das 14h30, a experiência da maternidade Albert Sabin será apresentada pela diretora da unidade, Maria da Conceição Santos de Jesus. Voltado a coordenadores da Atenção Básica e diretores de hospitais, o evento pode ser acompanhado por meio do site Telessaúde (clique aqui).
Segunda, 30 de Maio de 2016 - 12:30

Pau Gasol revela intenção de não participar dos Jogos Olímpicos por medo do zika

por Edimário Duplat

Pau Gasol revela intenção de não participar dos Jogos Olímpicos por medo do zika
Foto: Chris Ramirez/Chicago Bulls
Astro da NBA e da seleção espanhola de basquete, o ala-pivô Pau Gasol cogita não participar dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro 2016. Segundo o atleta, em coletiva neste domingo (29), o medo do vírus zika é o fator principal para evitar a capital carioca durante a competição.

"Estou avaliando, como qualquer pessoa. Creio que é um assunto suficientemente importante para isso. Espero que todos os Comitês Olímpicos nacionais informem 100% da situação e os riscos para os atletas, para que possam tomar uma decisão sobre assumir ou não este cenário", afirmou o atleta.

"Estou muito proativo com tudo isso. Tenho informação privilegiada por meus contatos com cientistas e pesquisadores dos Estados Unidos e Espanha e pretendo compartilhar com meus companheiros. Falei com muita gente e sei que alguns estão planejando ter família e isso pode afetar seus planos futuros. Me surpreende o pouco que se fala do zika. O desconhecimento é grande, é preciso debate para que surjam as dúvidas. Um grupo de 150 pesquisadores e cientistas enviaram uma carta a Organização Mundial de Saúde (OMS) alertando sobre esses riscos", completou.

Na última sexta (27), a FIBA Europa retirou a suspensão das seleções da Espanha e Lituânia, por conta da resistência dos clubes destes países à criação de uma nova liga continental. 
Cachoeira, Andorinhas, Feira de Santana e Uruçuca recebem Odontomóvel
Foto: Divulgação
Os municípios de Cachoeira, Andorinhas, Feira de Santana e Uruçuca recebem, a partir desta terça-feira (31), a estratégia itinerante Saúde sem Fronteiras Odontologia. Serão ofertados, em quatro carretas equipadas com consultórios, serviços de restauração, cirurgias de alta e baixa complexidade, tratamento de canal, coroa provisória, aplicação de flúor, exame radiológico, periodontia (tratamento de gengiva), entre outros. As carretas estarão estacionadas até 4 de junho nos seguintes locais: Cachoeira - Praça Dr. Milton, Centro; Andorinhas - Avenida Monte Santo, Centro; Feira de Santana - Rua Tostão, s/n, Cidade Nova, CSU (Centro Social Urbano); Uruçuca - Praça Regis Pacheco, Centro. Para o atendimento, os interessados devem portar o Cartão do Sistema Único de Saúde (SUS), documento de identidade e comprovante de residência.
Segunda, 30 de Maio de 2016 - 11:40

Campanha de combate à microcefalia causa polêmica: 'Deixe de ser cabeça pequena'

por José Maria Tomazela | Estadão Conteúdo

Campanha de combate à microcefalia causa polêmica: 'Deixe de ser cabeça pequena'
Foto: Getty Images
Uma campanha contra o Aedes aegypti com foco na relação do zika vírus com a microcefalia causou polêmica em Catanduva, cidade do interior de São Paulo. O texto publicitário faz menção a um dos efeitos mais graves da doença, a redução do perímetro encefálico, na tentativa de incentivar o combate ao mosquito. "Deixe de ser cabeça pequena. Combata o mosquito que causa a microcefalia", diz a peça publicitária usada na campanha. A cidade teve dois casos confirmados de zika este ano, mas nenhum em gestante. O material é veiculado em um jornal local e causou repercussão, principalmente pelas redes sociais. Depois que um morador postou o anúncio, afirmando que a frase era "de mau gosto", várias pessoas postaram comentários, como "não é piada?" e "essa foi infeliz". A campanha é veiculada pelo hospital psiquiátrico Mahatma Gandhi e tem os selos da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Catanduva e do Sistema Único de Saúde (SUS). O hospital informou ter usado os selos por ser gestor da UPA, mantida pelo SUS. Informou ainda que o objetivo era causar impacto para chamar a atenção para os riscos do Aedes, e que a campanha já foi alterada. Uma nova publicação foi feita com a frase: "Pare de pensar pequeno, combata o mosquito que causa microcefalia". Em todo o Brasil, foram confirmados 1.434 casos de microcefalia em 517 municípios de 25 unidades da federação, segundo o boletim mais recente do Ministério da Saúde. A pasta considera que houve infecção pelo zika na maior parte das mães que tiveram bebês com diagnóstico final de microcefalia.
Doenças transmitidas por insetos matam mais de 1 milhão anualmente, segundo OMS
Foto: PAHO/ WHO
Os insetos são responsáveis pela transmissão de doenças que matam mais de 1 milhão de pessoas por ano em todo o mundo, segundo informação divulgada nesta segunda-feira (30) pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Além dos óbitos, anualmente, registram-se bilhões de casos de patologias também transmitidas por insetos como malária, dengue ou febre-amarela. No total, as doenças transmitidas por insetos vetores representam 17% de todas as doenças infecciosas. Transmitida pelo Anopheles aegypti, a malária infestou mais de 214 milhões de pessoas e matou 438 mil em 2015. Já a dengue, que tem o Aedes aegypt como vetor, é a doença transmitida por mosquitos que mais tem crescido, tendo a sua incidência aumentado 30 vezes nos últimos 50 anos, de acordo com a Agência Brasil. Existem cerca de 3,5 mil espécies de mosquitos no mundo e, devido à globalização, elas têm se espalhado. 
Anvisa proíbe lote do Extrato de Tomate Elefante devido à presença de matéria estranha
Foto: Divulgação
A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinou nesta segunda-feira (30) a proibição da comercialização e distribuição de um lote do Extrato de Tomate Elefante. De acordo com publicação no Diário Oficial da União, foi detectada matéria estranha indicativa de riscos à saúde humana acima do limite máximo tolerado no lote L011810 do produto. Por conta do problema, identificado no Laudo Fiscal Definitivo emitido pela Fundação Ezequiel Dias (Lacen-MG), a fabricante Cargill Agrícola S.A. deve promover o recolhimento do estoque existente no mercado.
Manifestantes ocupam Ministério da Saúde, na Praça da Sé, contra medidas do governo Temer
Foto: Leitor BN
Um grupo de manifestantes ocupa o prédio do Ministério da Saúde, localizado na Praça da Sé, na manhã desta segunda-feira (30). De acordo com o psicólogo Walter Takemoto, cerca de 70 pessoas - entre profissionais da saúde, representantes de conselhos de saúde e estudantes - estão no local. "Estamos aqui por conta de medidas que o Temer já anunciou, como reduzir o Sistema Único de Saúde (SUS) no Brasil, que é uma conquista do povo brasileiro", afirmou ao Bahia Notícias. O grupo também é contrário ao "governo ilegítimo" do presidente interino Michel Temer. Takemoto informou ainda que a ocupação será permanente.
Martagão Gesteira reinaugura espaço e reivindica melhorias; Saulo será homenageado
Foto: Divulgação
O Hospital da Criança Martagão Gesteira aproveitará a reinauguração de sua UTI Pediátrica e do ambulatório de Oncologia, às 10h30 desta segunda-feira (30), para se manifestar sobre a crise pela qual passam as instituições filantrópicas. De acordo com a instituição, o subfinanciamento do Sistema Único de Saúde (SUS) é responsável pela atual situação das unidades, que prestam serviços 100% SUS. "O SUS paga por uma cirurgia cardíaca o valor de R$ 17 mil, quando na verdade o custo que a instituição tem para oferecer o procedimento é de R$ 25 mil. Do mesmo modo, o SUS paga pela consulta com um especialista o valor de R$ 10,00 e o hospital precisa pagar ao especialista o valor de R$ 94,29. São mais de 72 mil consultas realizadas todos os anos pelo Martagão. É uma conta que não fecha", exemplificou o superintendente da Liga Álvaro Bahia Contra a Mortalidade Infantil, Antônio Santos Novaes Junior. Também estará presente no ato a Superintendente Maria Rita Lopes Pontes, das Obras Sociais Irmã Dulce (OSID). Para a reforma da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Pediátrica e do novo ambulatório da Oncologia foram investidos cerca de R$ 400 mil, a partir de doações de pessoas físicas e jurídicas. Em agradecimento à participação do cantor Saulo e de toda sua equipe na campanha de arrecadação de verba em prol do Martagão, o espaço de Oncologia será nomeado "Cantinho do Saulo".
Pesquisa aponta que crise econômica global está relacionada a 260 mil mortes por câncer
Foto: Getty Images
A crise econômica global pode afetar não só o bolso das pessoas, mas também a saúde. De acordo com estudo desenvolvido por pesquisadores de Harvard (EUA), Universidade de Oxford, Imperial College e King's College (Reino Unido), cerca de 260 mil mortes adicionais por câncer em países da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômicos (OCDE), registradas desde 2010, estão relacionadas ao problema econômico. "O câncer é uma das principais causas de morte em nível global, portanto compreender como as mudanças econômicas afetam a sobrevivência é crucial", afirmou em comunicado Mahiben Maruthappu, do Imperial College de Londres e autor principal do trabalho. Segundo publicação na revista científica The Lancet, foram utilizados dados do Banco Mundial (BM) e da Organização Mundial da Saúde (OMS) para estabelecer o vínculo entre desemprego, gasto com saúde pública e mortalidade oncológica. "Detectamos que um aumento do desemprego está associado com uma maior mortalidade oncológica", disse o pesquisador, além de acrescentar que uma cobertura de saúde universal "protege contra esses efeitos indesejados", em especial cânceres tratáveis. Os autores apontaram ainda que o desemprego está mais associado à mortalidade em casos de cânceres tratáveis, com níveis de sobrevivência acima de 50%. "Em países sem cobertura de saúde universal, o acesso a cuidados médicos está garantido em muitas ocasiões como um pacote laboral. Se não tiverem emprego, os pacientes podem ser diagnosticados tarde e terão tratamentos pobres", esclareceu Rifaat Atun, professor da Universidade de Harvard.
Salvador é a capital com menor número de fumantes no Brasil
Foto: Rafael Neddermeyer / Fotos Públicas
Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) revelam que dez mil mortes são registradas diariamente em decorrência do consumo de cigarro em todo planeta. O estudo indica ainda que o tabaco é a principal causa de óbitos no mundo, seguida pelo álcool e pela inalação indireta do fumo, ou seja, que atinge aquele indivíduo que convive com fumantes. Apesar dos números alarmantes, o Ministério da Saúde destaca Salvador como a capital brasileira com o menor índice de fumantes, onde 7% da população adulta declara fazer uso do cigarro.  O baixo consumo de tabaco na capital baiana é atribuído, além da conscientização da população, ao intenso trabalho realizado pela Secretaria Municipal da Saúde (SMS), através do Programa de Controle ao Tabagismo (PMCT). "Somente no ano passado, aproximadamente mil pessoas participaram dos grupos de tabagismo nas nossas unidades de saúde. Nosso objetivo é não só a cessação do hábito de fumar, mas também a prevenção de recaídas. Com isso, atingimos uma média satisfatória de 43% dos participantes deixaram de usar o cigarro", afirmou Carla Germiniana, coordenadora do PMCT. O tratamento totalmente gratuito oferecido nas unidades de saúde do município consiste, inicialmente, por uma avaliação clínica e um teste para estimar o grau de dependência química e psicológica dos pacientes. A partir daí, os usuários passam a participar de sessões de grupo para discutir as doenças relacionadas ao tabaco e as vantagens de se parar de fumar. Os dependentes que tiverem necessidade são encaminhados para uso de medicamentos, também oferecidos gratuitamente pelo SUS.
Pesquisadores fazem ‘vaquinha’ para estudar microcefalia na Paraíba
Foto: Sumaia Villela/ Agência Brasil
Cerca de dez meses depois que especialistas do Nordeste registraram aumento inesperado de nascimentos de crianças com microcefalia, pesquisadores de Campina Grande (PB) planejam abrir um centro de referência na malformação. De acordo com a Agência Brasil, para arrecadar dinheiro destinado à construção do prédio, o Instituto de Pesquisa Prof. Joaquim Amorim Neto (Ipesq) faz campanha no site colaborativo Catarse (veja aqui). “Para que a gente possa entender a doença, precisamos de estrutura. Não dá para estudar o ouvido da criança (com síndrome congênita do Zika) em um lugar, o olho em outro, o cérebro em outro. Não dá para dissociar os efeitos”, disse a presidente do instituto, Adriana Melo. A especialista em medicina fetal foi a primeira pesquisadora a encontrar o vírus Zika no líquido amniótico de uma gestante que teve o filho com microcefalia. O instituto, sem fins lucrativos, foi criado em 2007 por médicos que queriam aprofundar pesquisas relacionadas à saúde materno-infantil. “Para as pesquisas que desenvolvíamos, a estrutura de nosso grupo era o suficiente. Usávamos uma sala da minha clínica. Depois que passamos a receber as gestantes que tiveram Zika, a prefeitura nos disponibilizou um hospital com estrutura pequena. Acompanhamos 60 bebês com microcefalia, mas o ideal era que acompanhássemos também os bebês cujas mães tiveram Zika e não nasceram com a malformação. Só que não temos nem estrutura nem dinheiro”, disse Adriana. Segundo a pesquisadora, a prefeitura de Campina Grande cedeu o terreno e um escritório de engenharia fez o projeto do centro. Além disso, empresas e o Ministério da Saúde se comprometeram a doar equipamentos. O objetivo da campanha é conseguir arrecadar R$ 200 mil para a construção do prédio. Em 11 dias, a campanha arrecadou mais de R$ 11 mil reais.
Domingo, 29 de Maio de 2016 - 11:40

Fila do SUS para cirurgia de mudança de sexo demora até 12 anos no Brasil

por Isabela Palhares e Juliana Diógenes | Estadão Conteúdo

Fila do SUS para cirurgia de mudança de sexo demora até 12 anos no Brasil
A modelo Lea T fez cirurgia de redesignação sexual na Tailândia |Foto:Divulgação
Há dois meses, nascia Walleria Suri. Ativista sexual, aos 39 anos ela afirma que só nasceu, de verdade, após fazer a cirurgia de readequação sexual. "O maior medo que eu tinha era de morrer antes de fazer a operação. Era como se eu pudesse morrer antes de nascer de verdade", diz, depois de ter esperado por cinco anos na fila do Sistema Único de Saúde (SUS) para fazer a cirurgia. A demora para a realização do "nascimento transexual" é uma queixa comum entre os que estão na fila de espera pela cirurgia de redesignação sexual que, segundo relatos, pode levar, em média, de dez a 12 anos. Bem antes de encarar a fila do SUS, Walleria conta que enfrentou crises de depressão entre a infância e a vida adulta. Foi somente aos 34 anos que conseguiu fazer a transformação: comprou roupas femininas e jogou fora todas as masculinas do armário: "Apesar do medo, da vergonha e da culpa que eu sentia no começo, estar finalmente vivenciando uma existência feminina foi tão libertador, tão compatível com meus desejos, sentimentos e instintos, que não tive mais dúvida sobre minha natureza. Realmente, eu tinha nascido mulher com corpo de homem". Os procedimentos para adequação do corpo de quem não se identifica com o sexo biológico passaram a ser oferecidos pelo SUS em 2008, mas até hoje só são feitos em cinco Estados e em uma escala muito menor do que a demanda. No ano passado, foram feitos 3.440 procedimentos de transexualização em todo o País, entre cirurgias de redesignação sexual, retirada das mamas, plástica mamária reconstrutiva (incluindo a colocação de próteses de silicone) e tireoplastia (troca da voz). Para Walleria, a maior angústia das pessoas que precisam da cirurgia é não saber quantos anos vão esperar, o que pode agravar os conflitos emocionais gerados pela "vida segregada que a sociedade as impõe". Além de terem de conviver com uma aparência física com a qual não se identificam. "O pênis era a parte do meu corpo que mais me causou repulsa a minha vida toda", conta. A demora na fila de espera faz com que muitas transexuais optem por caminhos alternativos e mais rápidos. Algumas viajam à Europa em busca de trabalho para arrecadar dinheiro e bancar cirurgias em clínicas particulares. Outras procuram a Tailândia, país que se tornou referência na readequação sexual. Há ainda casos extremos: mulheres transexuais que, com nojo do próprio órgão sexual biológico, deixam de lavar o pênis para que ele apodreça ou até mesmo recorrem a médicos, clandestinamente, para cortar o órgão. O Ministério da Saúde informou que, "como o processo é irreversível", é preciso acompanhamento psicológico por pelo menos dois anos "para que o paciente tenha certeza de suas vontades". Os procedimentos ambulatoriais incluem acompanhamento multiprofissional, além de hormonioterapia, e a idade mínima para se submeter a eles é de 18 anos - e de 21 anos para a cirurgia. 
Mesmo após pressão de especialistas, OMS descarta cancelar Olimpíada por causa da zika
Foto: Divulgação
Após cerca de 150 especialistas sugerirem à Organização Mundial da Saúde (OMS) o cancelamento, adiamento ou mudança de local das Olimpíadas do Rio de Janeiro 2016 (clique e saiba mais), por causa da zika, a entidade descartou essa possibilidade. "Cancelar ou mudar a sede dos Jogos Olímpicos não mudaria de maneira significativa a propagação internacional do vírus da zika", afirmou a OMS por meio de comunicado oficial. "As pessoas seguem viajando a estes países por muitos motivos, a melhor maneira de reduzir o risco é seguir as recomendações de saúde pública", ponderou. A OMS orienta ainda que as pessoas que venham ao Brasil consultem um médico e sigam as recomendações de saúde pública de seus países, antes de partir. "A OMS seguirá a situação de perto e adaptará suas recomendações caso seja necessário", garante a organização.
H1N1: Juazeiro ultrapassa meta e alcança 90% de público-alvo da vacinação
Foto: Blog do Carlos Britto
Apesar de ter vacinado 90% do público-alvo e ultrapassado a meta da campanha de vacinação contra a gripe H1N1, de 80%, o município de Juazeiro prosseguirá com a imunização até a próxima terça-feira (31). Segundo informações do Blog do Carlos Britto, o percentual alcançado pela cidade equivale a 40 mil pessoas vacinadas. O público-alvo da campanha é formado por pessoas a partir de 60 anos, crianças na faixa etária entre seis meses e cinco anos e gestantes, além de pessoas com doenças crônicas. Os interessados devem se dirigir às unidades básicas de saúde das 8h às 12h e das 14h às 17h, na zona urbana, das 7h30 às 13h na zona rural. A vacina abrange os três subtipos do vírus determinados pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para este ano: A/H1N1; A/H3N2 e influenza B.

Histórico de Conteúdo